Três filarmónicas de Arganil estão em risco de acabar por dificuldades financeiras

FOTO DR

A Sociedade Filarmónica Flor do Alva (de Vila Cova de Alva), a Associação Filarmónica Barrilense (do Barril de Alva) e a União Recreativa e Musical Pomarense (de Pomares) poderão vir a ficar inativas por não conseguirem suportar as despesas inerentes ao seu funcionamento.

O alerta para este problema foi deixado na última Assembleia Municipal de Arganil, que decorreu no passado sábado, por Nuno Espinal, que é também presidente da Assembleia Geral da Filarmónica Flor do Alva. Contando que foi “sensibilizado”, por dirigentes de “algumas destas bandas”, para esta situação, o segundo secretário da Mesa da Assembleia Municipal garantiu, no entanto, “ter já alguma consciência da situação financeira que estas filarmónicas estão a atravessar”.

Aproveitando a ocasião para, a título de exemplo, apresentar as receitas e as despesas da Filarmónica de Vila Cova de Alva, que, por sua vez, lhe foram facultadas por um dos seus dirigentes, o deputado municipal do PSD explicou que o objetivo é “verem os graves problemas financeiros que esta, e as outras duas filarmónicas, oriundas de localidades mais pequenas do concelho, atravessam”.

Versão completa na edição impressa

One Comment

  1. Carlos Nobre says:

    A notícia contém um erro… ou neste caso dois erros!

    1º – O Sr Deputado Municipal Nuno Espinal, não é Deputado pelo PSD, mas sim pelo PS, e estava como 2º Secretário da Assembleia Municipal em substituição do Deputado Mário Pereira, esse sim do PSD!

    2º Não foi mencionado pelo Sr Deputado Nuno espinal as Filarmónicas que se referia, invocando APENAS o nome da Filarmónica de Vila Cova!

    Fica o apontamento!

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.