Burocracia “emperra” novo Centro de Saúde Fernão de Magalhães

FOTO DB/LUÍS CARREGÃ

A construção do futuro Centro de Saúde Fernão de Magalhães está apenas dependente da compra do terreno, cuja escritura esteve marcada para janeiro passado. Ou seja quase há um ano.

De acordo com José Tereso, presidente da Administração Regional de Saúde do Centro (ARSC), uma mera questão burocrática está a “emperrar” todo o processo: a aquisição do terreno carece de uma portaria de extensão de encargos.

“A compra do terreno efetivo e o lançamento do concurso só dependem disso e é um assunto que tem sido aflorado permanentemente nas reuniões com o ministério e que o Sr. ministro [da Saúde] quer que seja resolvida”, adiantou o presidente da ARSC.

Versão completa na edição impressa

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.