Associação vai reconstruir voluntariamente infantário em Midões

Posted by

O infantário de Midões, em Tábua, vai ser reconstruído voluntariamente pela Associação Portuguesa de Promotores e Investidores Imobiliários (APPII), depois de ter sido totalmente destruído pelos incêndios de dia 15.

“A iniciativa partiu da APPII com os associados, que congrega as maiores empresas do setor imobiliário portuguesas e estrangeiras. A ideia é pegar num projeto concreto e reconstruí-lo. Ficámos chocados com a desgraça que atingiu as pessoas e, no seguimento disso, decidimos por mãos à obra”, explicou hoje à agência Lusa o secretário-geral da APPII, Hugo Santos Ferreira.

No espaço de uma semana, a associação mobilizou-se e encetou contactos com os autarcas de Tábua para avançar com o projeto “A Escola de Todos Nós” e com a reconstrução do infantário de Midões, totalmente destruído pelo fogo.

Hugo Santos Ferreira explica que, tendo a associação no seu seio toda a componente de obra, foi fácil mobilizar-se e constituir uma equipa, “um núcleo duro”, para tratar do projeto de reconstrução do infantário, sendo que várias empresas associadas responsabilizaram-se pela coordenação, elaboração de projeto, fiscalização, entre outros.

Além das empresas terem disponibilizado os seus serviços “pro bono”, vai ser criada ainda uma conta solidária, específica para o projeto da reconstrução do infantário.

“O objetivo é angariar fundos, não só dentro da associação [APPII], onde há muito associados que querem participar, mas permitir também a participação de outros que não o sejam. A conta será aberta na Câmara de Tábua, que a irá gerir exclusivamente para este projeto”, frisou.

O secretário-geral da APPII adiantou ainda que na próxima reunião da Câmara de Tábua, no final de novembro, o projeto irá ser sujeito a aprovação e, depois disso, prevê-se que a obra seja terminada no espaço de seis meses, caso não haja problemas estruturais graves.

“Queremos que este projeto seja um exemplo efetivo e rápido”, concluiu.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.