Praga dos jacintos de água volta a infestar o rio velho

Posted by

FOTO LUIS FIDALGO

Mostrou-se completamente inútil a intervenção da autarquia de Montemor-o-Velho, no início do corrente ano, quando resolveu assumir a empreitada de remover as toneladas de jacintos de água que infestavam o leito abandonado do rio Mondego que atravessa a vila.

Passados poucos meses, a praga voltou a espalhar-se e agora com redobrada intensidade. O presidente da Câmara Municipal, Emílio Torrão, lamentou ontem ao DIÁRIO AS BEIRAS a situação, exigindo “uma intervenção de fundo que tem de vir de instâncias superiores”, motivo pelo qual já reportou a situação à APA (Agência Portuguesa do Ambiente) e ICNF (Instituto da Conservação da Natureza e Florestas).

Versão completa na edição impressa

3 Comments

  1. Zé da Gândara says:

    Não teria sido mais avisado, antes de se aventurar com a subcontratação da empreitada da remoção dos jacintos (ciência que me parece que o senhor querido líder não dominará de todo), averiguar até que ponto tal seria uma boa solução?
    Não será para isso que existe a APA e INCF?
    Os contribuintes de Montemor-o-Velho deveriam agora cobrar o montante gasto na remoção dos jacintos ao senhor querido líder, mais não seja, dentro de dias nas urnas 🙂

  2. MONICA ALVES says:

    Na minha opinião as cementes dos Jacintos vieram na maquina quando vieram a limpar o Rio Mondego nao a outra esplicaçao…. Foi isso que aconteceu no leito do Rio Mondego que atravessa a Vila de Montemor-o-Velho.

  3. Zé da Gândara says:

    O problema da praga dos jacintos, falhada que foi a intervenção mecânica paga a preço do ouro pelo erário municipal e indirectamente pelo erário público a nível central via dotações orçamentais destinadas às autarquias, swrá agora resolvido pela intervenção divina (tipo o que se passou com a sétima avaliação da troika, segundo o Botas de Boliqueime – https://www.publico.pt/2013/05/14/politica/notici… )…

    Para que a Santinha de Fátima tome em consideração as preces do querido líder neste sentido (se acabar com a praga dos jacintos), o nosso querido líder virou santaneiro e agora corre todas as procissões e andores com um estranho fervor religioso, logo ele que dá a cara por um partido tido como jacobino, militantemente ateu e descendente dos Republicanos da Primeira República, que como se sabe, nomeadamente pela mão de Afonso Costa, meteram a Igreja na ordem com a sua política abertamente anti-clericalista…

    Mas enfim… Ser coerente não é para todos…

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.