Candidatos PSD defendem autoestrada Coimbra/Viseu

Posted by

FOTO DB/CARLOS JORGE MONTEIRO

O candidato à câmara de Coimbra da coligação PSD/CDS-PP/PPM/MPT, Jaime Ramos, e o atual presidente da câmara de Viseu e recandidato ao cargo pelo PSD, Almeida Henriques, anunciaram ontem uma união de esforços para que o Governo avance com a construção da autoestrada entre as duas cidades. No fundo, e como explicou o autarca viseense, dar seguimento ao projeto do anterior Governo e que foi denominado de Via dos Duques.

Essa proposta, que era do acordo dos autarcas da região, foi apresentada em agosto de 2015 em Mortágua e previa a remodelação do atual traçado do IP3 e a construção da nova via em fases: aproveitamento do IC12; duplicação do troço entre a Aguieira e Santa Comba Dão; uma nova ligação entre o IC12 (Canas de Senhorim/Mangualde A25) e prolongamento da A13 até à Barragem da Aguieira. “Tem de ser feito, tem de ser uma reivindicação nossa”, frisou Jaime Ramos.

Versão completa na edição impressa

3 Comments

  1. Poortugues says:

    Engraçado que os autarcas (ou candidatos) do PSD vêm agora exigir as obras que os seus Governos têm deixado na gaveta. Em relação a esta, que fará muito jeito, é certo, só espero que não nos tirem o IP3 e obriguem toda a gente a pagar portagens como fizeram em tantos outros sítios.

    • Zé da Gândara says:

      Não poderia deixar de estar mais de acordo consigo… Mas o problema é que se avançarem as ditas obras, o IP3 vai passar a auto-estrada e levará com as portagens da praxe, pelo que deixará de ser opção para quem por lá circula, pese o facto das limitações do traçado e da obra grandiosa do senhor algarvia pai deste conceito de via rápida plena de obstáculos e de pontos negros da segurança rodoviária…
      Se avançar com os resultados que já são de esperar, vai ser mais uma das obras públicas (auto-estradas) em que se irão gastar rios de dinheiro e que muito provavelmente, depois de taxada a utilização com portagens, se irá por lá ver o mesmo cenário que em outras auto-estradas (deserto)…
      O que me parece censurável foi a construção do IP3 pelas mãos do Algarvio nas circunstâncias em que foi construído… Uma verdadeira nódoa negra da engenharia Portuguesa que a deveria envergonhar profundamente e que não tem explicação… E se há quem duvide do contrário, que vá à Suíça (pais de relevo bem mais acidentado que o nosso) e que nem por isso deixa de ter auto-estradas decentes e isentas de pontos negros de segurança rodoviária como os que abundam no IP3… A desculpa de que somos um país pobre e atrasado e por aí adiante não cola… Na altura choviam camiões de dinheiro de Bruxelas para infraestruturar decentemente o país mas esse dinheiro parece que serviu apenas para encher os bolsos a meia-dúzia de construtores civis bem relacionados, através do expediente que então se institucionalizou e que eram as derrapagens orçamentais das obras… Pagou-se caviar e acabou-se a comer tripas de carapau…

  2. j.mendes says:

    Só quem utiliza com frequência este troço, entre Coimbra e Viseu , se apercebe dos perigos constantes e quantas vezes
    alguns susto. ..espero que o próximo presidente da câmara municipal de Coimbra e Viseu tenham a coragem de enfrentar
    o governo para a concretização desta obra que já devia estar feita.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.