Ampliação do tribunal pode ser paga com poupança das rendas

Posted by

FOTO DB/LUÍS CARREGÃ

A construção de novas instalações – que permitam a ampliação do atual Palácio da Justiça para o outro lado da rua João Machado (num terreno utilizado há muitos anos para estacionamento) – é um processo que “já não tem retorno”, disse ontem o antigo dirigente da Ordem dos Advogados e também ex-vereador da Câmara municipal de Coimbra, Ferreira da Silva.

Como impulsionador do movimento que exige “uma nova casa da justiça em Coimbra”, que lançou também uma petição, o causídico recordou, ontem à tarde – à margem de uma conferência sobre o tema, que decorreu no salão Nobre do Palácio da Justiça – que em 2001, quando António Costa era ministro da Justiça, este prometeu novas instalações”.

Todavia, à época, “era para construir do outro lado do rio, mas isso só serviu de manobra de diversão, porque significou fazer mais uns esboços estudos e um concurso público, que acabou impugnado”.

Versão completa na edição impressa

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.