PJ deteve dois homens por abuso sexual de menores

Posted by

FOTO DR

Dois homens, de 52 e 31 anos, foram detidos pela Polícia Judiciária (PJ) por suspeita de abuso sexual de menores em Cantanhede e Tondela, nos distritos de Coimbra e Viseu, respetivamente, anunciou hoje a Diretoria do Centro.

Fonte da PJ disse à agência Lusa que, no caso do primeiro suspeito, a vítima foi o próprio filho do suspeito, de 18 anos, e que sofre de alguma “debilidade mental, sem capacidade para se opor e denunciar”, e um vizinho de 15 anos.

Os contactos de natureza sexual com o filho, com quem reside na zona de Cantanhede, mantinham-se há cerca de oito anos, enquanto com o vizinho os factos ocorreram a partir de fevereiro, de forma forçada e com oferta de dinheiro.

O indivíduo foi detido na terça-feira e vai ser presente ainda hoje à tarde ao tribunal para a aplicação das respetivas medidas de coação.

É suspeito de vários crimes de abuso sexual de crianças, abuso sexual de menores dependentes, coação sexual e recurso à prostituição de menores.

O outro detido, de 31 anos, terá abusado de três menores, duas delas irmãs, com idades entre os 12 e os 14 anos, no concelho de Tondela, que residiam próximo de si, com base no aliciamento através da rede social do Facebook, adiantou fonte da PJ.

A mesma fonte referiu que o suspeito, casado, terá praticado atos sexuais com uma jovem de 12 anos e outra de 14, tendo o ato sido observado por vizinhos, que alertaram as autoridades.

O agressor, que não tem profissão conhecida, nem antecedentes criminais, é acusado de ter praticado um crime de atos sexuais com adolescentes e três crimes de aliciamento de menores para fins sexuais.

Após primeiro interrogatório judicial, o tribunal obrigou-o a apresentações periódicas às autoridades e proibiu-o de contactar com as vítimas e de utilizar as redes sociais.

One Comment

  1. Zé da Gândara says:

    Isto é tudo boa gente 🙂 Pena é que o Sôdôtôres Juízes não os mandem para o chilindró porque no Chilindró certamente que a população reclusa terá a oportunidade de aplicar o seu próprio código de justiça muito próprio e extremamente benevolente com ilustres que alegadamente abusam de menores 🙂 esses alegados abusadores tornam-se nas princesas da população reclusa 🙂

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.