Hospital da Figueira da Foz e a Fundação Bissaya Barreto assinam acordos históricos

Posted by

Pedro Beja Afonso, Patrícia Viegas Nascimento e José Tereso

 

Um dos protocolos diz respeito ao tratamento de doentes do Centro Geriátrico Bissaya Barreto da Figueira da Foz internados no Hospital Distrital da Figueira da Foz (HDFF) . Assim, após decisão do médico assistente, os pacientes completam a terapia na instituição, assegurada por profissionais e material do hospital.

 

As vantagens são várias. A desospitalização do enfermo, protegendo-o de potenciais infeções hospitalares e permitindo-lhe regressar à instituição, é uma delas.

O outro protocolo comtempla a realização de análises clínicas dos utentes do centro geriátrico no HDFF. Deste modo, em vez de serem realizados em laboratórios privados, os exames são feitos na unidade de saúde onde muitos dos pacientes são atendidos e cujos resultados passam a integrar a sua base de dados, facilitando a resposta em futuros episódios hospitalares.

 

Informação completa na edição impressa

2 Comments

  1. Zé da Gândara says:

    A Sôdôtôra Patrícia Viegas Nascimento, upa upa 🙂 Já os demais fotografados pelos fotojornaleiros do Beiras Times, na parte que me toca, assimilam-se a aquilo que se poderia eventualmente considerar como poluição visual 🙂

  2. João Santos says:

    in DN.pt

    A presidente da Fundação Bissaya Barreto recebe 11 mil euros de salário. Em 2011, a fundação de Coimbra recebeu 4,3 milhões de apoios públicos.

    "A presidente da Fundação Bissaya Barreto – IPSS de Coimbra que em 2011 recebeu 4,3 milhões de subvenções públicas – aufere 11 400 euros brutos de salário mensal, cerca do dobro do ordenado do primeiro-ministro e dos gestores das grandes empresas públicas", escreve o diário i na edição de hoje.

    O jornal indica que a "fundação é a quinta maior beneficiária de fundos do Estado" e Patrícia Nascimento "tornou-se presidente do conselho de administração em junho de 2007", e "não tem qualquer ligação a Bissaya Barreto, o médico e professor universitário que deu nome à fundação, em 1958, nem a qualquer dos sete cidadãos fundadadores."

    O i escreve que, antes de morrer, Bissaya Barreto, designou uma pessoa que não era seu familiar para dirigir a fundação, o arquiteto Luís Viegas Nascimento, mas a partir daí "a fundação que gere o Portugal dos Pequenitos não saiu das mãos da mesma família. A atual líder da Bissaya Barreto herdou o cargo do marido, que, por sua vez, sucedeu ao pai", o arquiteto Viegas Nascimento.

    O jornal revela ainda que a atual presidente quis aprovar cargos vitalícios e que dois administradores que se manifestaram contra, foram afastados.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.