João Ataíde quer reconversão do projeto turístico das lagoas

Posted by

 

O presidente da Câmara da Figueira da Foz defendeu, ontem, na assembleia municipal, a municipalização das zonas protegidas.

 

João Ataíde lembrou que 66 por cento do território do concelho está sob jurisdição de outras entidades. Por isso, ilustrou: “Temos de lutar muito para podermos intervir num metro quadrado”.

Por outro lado, acrescentou que “houve excesso de zelo do Instituto Nacional da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), que não fazia nem deixava fazer”, apontando o caso da pavimentação das estradas da Serra da Boa Viagem, pela autarquia, cuja autorização “demorou anos” a obter.

O ICNF, sustentou ainda o autarca, “não tem conhecimentos nem meios [para gerir as áreas protegidas]”.

A zona das lagoas, no Bom Sucesso e Quiaios, é uma das áreas protegidas. Para a primeira freguesia, recorde-se, foi aprovado um complexo turístico, embora com menores dimensões do que aquelas que o promotor pretendia.

Entretanto, a crise adiou a construção. Agora, João Ataíde defende que “o campo de golfe do Bom Sucesso terá de ser reconduzido para outro projeto”, sugerindo que seja de “ordem ambiental”. E já deu nota disso ao promotor.

O edil respondia ao deputado municipal do PSD Teotónio Cavaco, que o questionou sobre aqueles e outros assuntos, um dos quais a Base Aérea da Monte Real, que a Região Centro pretende que também seja utilizada como aeroporto civil.

 

Versão completa na edição impressa

 

2 Comments

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.