Estudo adverte sindicalismo para urgência na renovação

Posted by

Um doutoramento da Universidade de Coimbra concluiu que o sindicalismo em Portugal tem de se renovar e de se adaptar à nova realidade laboral para não definhar, alertando para a dificuldade de penetração sindical nos segmentos mais precários.

O sindicalismo português “ou se renova ou está condenado” a servir “uns poucos, porque a maioria não serão trabalhadores assalariados”, sublinha Dora Fonseca, autora de uma tese de doutoramento em Sociologia que analisa os movimentos sociais e o sindicalismo durante a crise portuguesa.

Com uma realidade laboral em que “o trabalho precário é cada vez mais a norma do que a exceção”, os sindicatos têm de se adaptar “porque senão rapidamente ficam sem filiados”, disse à Lusa a investigadora, considerando que, apesar de haver alguns avanços, é necessária uma renovação “por completo”.

2 Comments

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.