Rómulo pensa em novo espaço para dar resposta ao “enorme crescimento”

Luís Carregã

Luís Carregã

“Uma expansão extraordinária que nos deixa extremamente satisfeitos”. É desta forma que Carlos Fiolhais descreve os oito anos de existência do Rómulo – Centro Ciência Viva da Universidade de Coimbra, que assinala hoje mais um aniversário.
O “enorme crescimento” do centro está a levar os responsáveis a pensar em estratégias para alargar o seu espaço físico. “Já quase nem cabemos aqui e queremos crescer. Temos de procurar um sítio próximo com mais espaço. Há oito anos, tínhamos três mil livros e uma funcionária, e, hoje, temos mais de 20 mil obras e quatro pessoas a trabalhar connosco”, explica o diretor e fundador da “biblioteca de cultura científica”.
“O nosso acervo resulta essencialmente de doações. É a partilha de conhecimento que caracteriza as sociedades mais desenvolvidas”, lembra Carlos Fiolhais, deixando um apelo para que “quem tem livros que já leu pense na possibilidade de os doar” e deixar o seu contributo para o centro.
Na data em que se assinala o Dia Nacional da Cultura Científica, o Rómulo dinamiza um conjunto de atividades, em que se destaca a inauguração da exposição “Vinte anos. Vinte livros de ciência para todos”.

Notícia completa na edição impressa de amanhã

One Comment

  1. Inês Monteiro says:

    Muitos parabéns ao Rómulo – Centro de Ciência Viva da Universidade de Coimbra, na pessoa do Sr. Prof. Dr. Carlos Fiolhais. A partilha de conhecimentos que aí se estimula deve deixar toda a equipe de trabalho muito orgulhosa pelo sucesso alcançado.
    Inês Monteiro

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.