Reconstituição de cordão de dunas avança nas praias do Cabedelo, Leirosa e Vagueira

Posted by
FOTO PEDRO AGOSTINHO CRUZ

FOTO PEDRO AGOSTINHO CRUZ

A Agência Portuguesa do Ambiente vai investir 401 mil euros na reconstituição dos cordões dunares no Cabedelo, a norte da Praia da Leirosa e a norte da Praia da Vagueira, zonas afetadas pela erosão marítima.

O investimento será repartido pelos anos de 2016 (81.300,81 euros) e 2017 (320.325,21 euros), de acordo com a portaria do Secretário de Estado do Orçamento, João Rodrigo Reis Carvalho Leão, publicada hoje em Diário da República.

A empreitada de reconstituição do cordão dunar resulta de uma candidatura da Agência Portuguesa do Ambiente (APA) ao PO SEUR – Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos, que tem como objetivo a proteção e conservação da linha de costa, antecipando riscos e cenários potenciados pelas alterações climáticas.

A candidatura é constituída por um conjunto de cinco ações e enquadra-se no âmbito do Programa de Ordenamento da Orla Costeira Ovar – Marinha Grande, que integra as sugestões formuladas pelo grupo de trabalho do litoral (GTL), no Plano de Ação de Proteção e Valorização do Litoral 2012 -2015 (PAPVL) e a Estratégia Nacional para o Mar 2014 – 2020.

A empreitada integra um conjunto mais vasto de intervenções numa zona muito afetada pelo avanço do mar e é uma das ações previstas no Litoral XXI – Governança e Plano de Ação, documento apresentado em julho na Praia da Vagueira, Vagos, pelo ministro do Ambiente, Matos Fernandes, que define as prioridades no combate à erosão costeira.

Nessa altura, Matos Fernandes anunciou que Portugal vai investir 176 milhões de euros nos próximos quatro anos para travar o recuo da costa, que tem vindo a perder território e biodiversidade devido às alterações climáticas.

Neste contexto, está já a decorrer a empreitada de deposição na Costa Nova (a norte da Vagueira) de dois milhões de metros cúbicos de inertes provenientes do Porto de Aveiro, medida de combate à erosão que irá beneficiar uma das zonas mais frágeis do litoral português devido ao avanço do mar, provocado pelas alterações climáticas registadas nas últimas décadas.

A intervenção nesta zona do litoral Centro passa também pela recuperação e reforço dos esporões da Torreira, Barra, Costa Nova e Mira, e o reforço do cordão dunar na costa da Figueira da Foz (Cova Gala e Lavos).

4 Comments

  1. isso chama-se ……..remar contra a maré…………..e pôr dinheiro literalmente a…………meter água….pagamos nós…..sempre os mesmos ……para uma situação irreversível…..como o tempo voltamos à estaca zero……..

  2. hummmm….concordo…….djomix……és o maior…….xoxo nuno mafi

  3. penso ser uma boa hipotese, relativamente ao problema que enfrentamos

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.