“Pulgas” no Museu Temporário de Memórias

FOTO DB LUÍS CARREGÃ

FOTO DB LUÍS CARREGÃ

O espaço de um antigo armazém da Sociedade de Fazendas de Coimbra, ao beco da rua Nova, transformado no Museu Temporário de Memórias, acolheu, na quinta-feira, uma iniciativa a fazer lembrar o famoso “Marché aux Puces” de França.

A ideia partiu de Rita Alcaire, antropóloga e doutoranda de Direitos Humanos no Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra, que em conversa com Maria Sousa, da editora “Do lado esquerdo” resolveram dar corpo à Feira das Pulgas.

“Mais do que um local para vendermos as nossas memórias – artigos em segunda mão – esta é também uma oportunidade de convívio”, disse Rita Alcaire

“As peças expostas pelos participantes interagem com os objetos que contam a história da baixa, desde que o Museu Temporário de Memórias abriu”, acrescentou.

Na feira participaram “A Sousa”, com sacolas ultra-eco-friendly; Kayl Worska com pitéus recheados de humor e amor; Maria & Amélia, com lenços, carteiras, livros; Pura Pia, com toda a alma dos seus sapatos e as histórias que cada par conta; e Rita Alcaire que levou à feira peças de vestuário com muita cor e bom corte de há poucos anos e alguns quilos atrás.

Durante a iniciativa, Carlos Dias, tocador de discos, ocupou-se da banda sonora do evento e deu a conhecer parte da sua extensa coleção de música. À noite decorreu “Uma quase intervenção poética”, com Nuno Miguel Neves e Rita Grácio.

Os visitantes que iam surgindo eram recebidos pelo excêntrico e divertido J. Delacroix, curador do Museu Temporário de Memórias.

Refira-se que parte do valor obtido com as vendas reverterá para a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Coimbra.

O Museu Temporário de Memórias, projeto desenvolvido em colaboração com muitos dos protagonistas daquela zona da cidade, no âmbito do Sons da Cidade 2016, vingou para além da programação destinada a celebrar a inscrição da Universidade de Coimbra como Património da Humanidade. Está de portas abertas, para já até final de setembro.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.