“Quando somos eleitos, devemos respeitar os mandatos”

Posted by

Manuel Domingues JA

Recandidatou-se sozinho ao segundo mandato porque os potenciais candidatos estão à espera dos resultados das autárquicas, ou os militantes gostaram do primeiro mandato?

Os militantes que podiam apresentar-se como alternativa, possivelmente, não o quiseram fazer. Constitui a minha equipa e apresentei-me às eleições. Não sabia se ia haver oposição interna, mas é assim que funcionam os partidos: umas vezes há oposição; outras, não há.

Mas houve movimentações para uma lista alternativa.

Nestas coisas há sempre nomes que se vão ventilando. O mais importante é que o partido está a funcionar e a preparar-se para o combate autárquico. Este é o trabalho mais importante desta Concelhia, e só nos interessa a vitória. É difícil? Claro que é, mas o futuro não está escrito.

Se os resultados das autárquicas de 2017 não forem bons, demite-se?
Quando somos eleitos, devemos respeitar os mandatos. Estamos neste processo para ganhar. Se não ganharmos, terei de fazer uma análise com a minha equipa.

As eleições num concelho como este não começam por se ganhar nas freguesias?

Já fui abordado por alguns militantes no sentido de que já devíamos estar a preparar as eleições autárquicas, mas entendemos que não devíamos fazer isso porque havia um período eleitoral interno, podia haver mais candidaturas, e não ficava bem se andássemos a fazer convites. Agora, sim, vamos começar a falar com as pessoas.

Quando é que o candidato à câmara vai ser apresentado? Miguel Almeida disse que devia ser apresentado até ao final do ano.

O companheiro Miguel Almeida, neste momento, não faz parte da Concelhia. Quem vai decidir são os órgãos do partido. Até ao final do ano ou início de 2017, o PSD deverá apresentar o seu candidato à câmara.

A Concelhia está satisfeita com o trabalho dos autarcas do PSD?

Na maioria dos casos, sim. Na freguesia de Quiaios, foi apresentada uma proposta de moção de censura à presidente da junta e ainda não vi o presidente da câmara (PS) tomar uma iniciativa, e tomou posição em relação à Junta de São Pedro, até porque há processos em Quiaios que estão a decorrer no Ministério Público.

Esta entrevista pode ser ouvida na íntegra, hoje, pelas 21H00, na Foz do Mondego Rádio (99.1FM) e vista na Figueira TV e em www.asbeiras.pt.

 

One Comment

  1. Zé da Gândara says:

    Só uma dúvida… Se o nosso bravo dirigente refere que quem escolhe a personalidade que se apresentará como candidato à Presidência da Câmara Municipal da Figueira da Foz nas próximas eleições para o efeito, é o dito "Partido", pressupõe-se que seja a Distrital do Partido / Partido a nível central quem escolhe o nome numa tômbola (quiçá com recurso a sorteio com bolas esfriadas)… Ou será que o nosso raciocínio está incorrecto? Se porventura o nosso raciocínio estiver correcto, isso não significará que a concelhia é menorizada e reduzida à insignificância e que as escolhas que competiam aos ditos "militantes" Figueirenses serão feitas por terceiros alheios à realidade Figueirense, castrando assim a possibilidade de os Figueirenses escolherem os seus dirigentes, ao abrigo de uma prática que se assemelhará a caciquismo?

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.