Fundação ADFP acusa autarquia de perseguição na obra do templo

Posted by
FOTO DR

FOTO DR

A Câmara de Miranda do Corvo abriu um processo de contraordenação contra a Fundação Assistência Desenvolvimento e Formação Profissional de Miranda do Corvo (ADFP). Um processo que pode significar, segundo a IPSS, a aplicação de uma coima com valor mínimo de 240 mil euros e máximo de cinco milhões.

Neste processo, a autarquia acusa a Fundação de “agir com dolo”, entendendo a ADFP que “para fazer subir o valor da multa a câmara considerou que a instituição de solidariedade social agiu com intenção de prejudicar o interesse público”.

Versão completa na edição impressa

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.