Repúblicas de Coimbra abrem portas à cidade durante uma semana

Posted by

Republica

As casas de estudantes de Coimbra resgatam a iniciativa “Semana das Repúblicas”, que já não se realizava há vários anos, e, entre 29 de março e 5 de abril, celebram a sua existência com concertos, performances, jantares e roteiros.

O evento, organizado pelo Conselho de Repúblicas, conta com a participação das 25 casas de estudantes que ainda existem, numa semana com mais de 20 eventos previstos. A semana surge como uma forma de ligação das repúblicas “à comunidade estudantil e à cidade em si”, numa iniciativa que procura “divulgar, sensibilizar e celebrar as casas que ainda existem”, disse à agência Lusa Catarina Reis, da república Prá-Kys-Tão.

A 29 e 31 de março, serão realizados um roteiro pelas repúblicas da Alta de Coimbra e outro pelas casas que estão mais afastadas da zona da Universidade, e a 1 de abril é dinamizado um debate na Prá-Kys-Tão sobre a problemática do Novo Regime do Arrendamento Urbano, que já levou ao fecho de uma república e ao despejo de outra da sua habitação original.

3 Comments

  1. Sócio AAC says:

    Excelente iniciativa das repúblicas de Coimbra que são parte importante do património cultural da cidade.

  2. PEDRO COIMBRA says:

    Porque é que as Repúblicas perderam a razão.

    Já escrevi muito neste espaço e penso que devo explicar as minhas razões.

    Primeiro, eu não sou contra a existência de Repúblicas de Estudantes.

    Não sou. Nunca fui.

    Mas sou CONTRA que algumas REPUBLICAS rejeitam estudantes quer por razões políticas.

    Sou CONTRA as REPUBLICAS que rejeitam estudantes por estes serem a favor da praxe académica.

    Sou CONTRA as REPUBLICAS que tenham estudantes/residentes/repúblicos com condições financeiras para suportarem um quarto ou uma casa.

    Sou CONTRA as REPUBLICAS, neste caso repúblicos, que não cumpram com as suas obrigações como por exemplo, pagarem rendas.

    Sou CONTRA as REPUBLICAS que tenham repúblicos com mais matriculas que aquelas que sejam necessárias para acabar o curso – Vá, com tolerância académica de um ano.

    Sou CONTRA as REPUBLICAS que tenham residentes que não sejam estudantes.

    Sou CONTRA as REPUBLICAS que tenham repúblicos que não sejam estudantes da Universidade de Coimbra.

    EU Sou CONTRA ESSAS REPUBLICAS.

    E, infelizmente, SÃO MUITAS.

    Porque isso não é uma República.
    Isso, meus caros, é OKUPAÇÃO!

    É oKupação de uma parte bonita da história de ser estudante de Coimbra.

    É adulteração da real missão do que devem ser as repúblicas.

    Durante anos, fizeram o que quiseram.

    Durante anos, poderiam ter chegado acordo com os senhorios para valores razoáveis, mas não.

    Durante anos, ao pagarem rendas simbólicas, melhor, durante décadas, podiam ter, hoje, um bom pé-de-meia para servir como entrada para aquisição do imóvel.

    Andaram anos armados em chicos espertos, refugiando na Lei contra os senhorios, invés de criarem bases para uma sustentabilidade a longo prazo da existência da República.

    Poderiam ter feito tudo isso. Tiverem tempo para isso.

    Tiveram mais de 50 anos para prepararem tudo isso.

    Mas não.
    Agora é tarde.
    Agora virou-se o feitiço contra o feiticeiro.

    Agora querem pena, compreensão e compaixão.

    Agora querem nos dizer que a culpa é do senhorio, quando anos após anos, décadas após décadas, o maior prejudicado foi ele.

    Agora é tarde,

    Agora não têm razão…

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.