Arroz protegido e lampreia de qualidade

FOTO DR

FOTO DR

A edição de 2016 do Festival do Arroz e da Lampreia decorre de 4 a 13 deste mês, com um menu recheado de “Sabores do Campo e do Rio”. Terá como tema principal “a integração do arroz carolino do Baixo Mondego na lista de produtos com Indicação Geográfica Protegida (IGP) da União Europeia”, explicou ontem Emílio Torrão, presidente da Câmara Municipal de Montemor-o-Velho (CMMV).

O autarca destacou, durante a apresentação do festival, algumas novidades deste ano, como “uma exposição temática sobre o arroz carolino” ou ainda “o seminário”. Um evento que, explicou o vereador José Veríssimo, “pretende promover a IGP do Arroz Carolino do Baixo Mondego”. No seminário, dia 11, às 17H00, serão debatidas “as mais-valias da IGP, com técnicos especializados”, e também “divulgados os resultados do campo de ensaios de arroz”.

Versão completa na edição impressa

2 Comments

  1. Zé da Gândara says:

    Além de arroz protegido e de lampreia de qualidade, temos ainda um querido líder DOP e premium… Que anda por estes dias muito ocupado igualmente a transformar o concelho num concelho tecnológico, tendo o espírito do Steve Jobs já aconselhado o Tim Cook (CEO da Apple e sucessor do Steve Jobs) a deslocalizar a sede da Apple (maçã) para o concelho de MMV e na lista está também a deslocalização para MMV do Departamento do Governo da Coreia do Norte responsável pelo desenvolvimento da bomba atómica, tudo isto devido ao manancial de vantagens económicas oferecidas pelo querido líder e às expertise nos múltiplos domínios e áreas do saber que pode ser encontrada em MMV… Product placement powered by local branch of Ria Novosti

  2. Zé da Gândara says:

    No product placement do fim-de-semana passado no canal de televisão (em sinal aberto) do Bolsa-na-mão, vê-se o nosso querido líder a tergiversar dos assuntos ligados à agricultura de uma forma que faz dele um potencial candidato a Director Técnico da ESAC, para não ter de fazer concorrência ao camarada Capoulas Santos no Ministério… Imaginemos o que não seria o nosso querido líder no Ministério da Agricultura a abraçar a causa dos porqueiros e dos leiteiros… A lógica de mercado dos produtos agrícolas inverter-se-ia e estou seguro que o nosso querido líder em menos de nada, nacionalizaria as grandes superfícies da distribuição moderna para poder praticar uma política comercial de acordo com os seus princípios nacionalistas e pasme-se, sem que houvesse qualquer empresário expropriado a atrever-se a intentar qualquer acção contra o Estado Português invocando danos sofridos, prejuízos verificados ou cessação de proveitos futuros… Nem as manas Mortágua do Bloco de Esquerda fariam melhor… Mas, infelizmente, dentro dos partidos, respeita-se uma certa solidariedade entre camaradas e isso deixa o nosso querido líder com um raio de acção circunscrito a terras de Fernão Mendes Pinto e Diogo de Azambuja… Que pena… Teríamos um defensor da Agricultura a nível nacional como o foi o Paulinho das Feiras…

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.