OCC afirma percurso de 15 anos na “conquista” de novos públicos

FOTO DB/LUÍS CARREGÃ

FOTO DB/LUÍS CARREGÃ

Em 15 anos de empenho e resistência, a Orquestra Clássica do Centro (OCC) afirmou-se na promoção e divulgação da música, tendo sido recentemente reconhecida pelo Instituto Camões como Organização Não Governamental para o Desenvolvimento, pelo trabalho produzido com países africanos de língua portuguesa como Cabo Verde. Mas, nem assim mereceu do Governo o apoio que todas as outras entidades congéneres no país têm tido.

Situação que Emília Cabral Martins, responsável pela associação OCC desde o seu início, espera ver revertida, agora que Portugal voltou a ter um Ministério da Cultura, do qual se espera “um novo olhar sobre o país” e o trabalho empenhado que entidades como a OCC têm desenvolvido.

Versão completa na edição impressa

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.