Aposta nas pessoas com projetos diferenciadores em Arganil

Posted by
FOTO DB/LUÍS CARREGÃ

FOTO DB/LUÍS CARREGÃ

É o último mandato de Ricardo Alves. Eleito em 2005, o autarca social-democrata tem apostado na melhoria da qualidade de vida dos cidadãos. Há dois anos atrás, quando foi reeleito, o município arganilense também sofria os efeitos da crise económica do país.

Como tal, a aposta neste período foi “centrar as nossas decisões nas pessoas e nas dificuldades que elas enfrentaram”. As medidas tomadas, na opinião de Ricardo Alves, são “diferenciadoras”. Desde logo, “devolver os cinco por cento do IRS, que pertenciam ao município, aos arganilenses”.

Em segundo lugar, a aprovação da proposta de redução do IMI para as famílias com um, dois ou três dependentes. Em terceiro lugar, o município assinou recentemente um protocolo com a operadora Vodafone que permite a mais de 20 aldeias do concelho acesso a rede de telemóvel e de dados. “Objetivo é discriminar positivamente as suas populações”, afirmou.

Neste âmbito, há ainda a realçar a criação de três espaços cidadão no concelho. Para além da sede do concelho, as populações das freguesias de Côja e S. Martinho da Cortiça dispõem “do mesmo tipo de serviços que teriam apenas na capital do distrito”.
O reforço das verbas da ação social escolar foi outra das medidas implementadas pela autarquia arganilense. Ou seja, a partir deste ano letivo, todas as crianças das escolas do 1.º ciclo têm acesso aos lanches escolares.

Ambiente e mobilidade foram outras das prioridades estratégicas do município. No primeiro caso, Ricardo Alves salientou a construção de quatro novas ETAR’s pela câmara e mais quatro ETAR’s por parte da empresa pública Águas do Mondego (agora, Águas do Centro Litoral).

Apesar deste “forte” investimento, a autarquia continua a efetuar trabalho nesta área. A ETAR da Cerdeira está em curso, mas é necessário edificar mais quatro estações no concelho. Quanto à ETAR da Zona Industrial da Relvinha, está a ser preparada uma candidatura a fundos comunitários. “Se há algo que diferencia positivamente o nosso mandato é o investimento na área do ambiente”, frisou.

Nesta área, Ricardo Alves salientou ainda o recente acordo com a Águas do Centro Litoral relativamente ao sistema de abastecimento de água no concelho. Um protocolo que prevê um investimento, por parte da empresa pública, de três milhões de euros, a que se junta o investimento municipal de dois milhões de euros. “Nos próximos dois anos, vamos revolucionar o sistema de abastecimento de água em todo o concelho”, garantiu.

A requalificação urbana teve especial atenção do executivo. Desde logo, a requalificação do Largo do Pelourinho, a intervenção no Largo do Cruzeiro e a requalificação do Paço Grande. “Uma intervenção que permitiu criar melhores condições ao mercado semanal do concelho”, disse.

A aposta no turismo de natureza está a começar a dar os seus frutos. Mas, como explicou Ricardo Alves, há um conjunto de investimentos que irão ajudar a alterar esse paradigma. Por exemplo, o aumento da procura do pedestrianismo e do BTT merece a atenção do executivo. A construção de um centro de BTT em Côja é um dos exemplos, a que se juntam as marcações dos 150 quilómetros de percursos existentes no concelho.

A cultura não foi esquecida. Como tal, o município construiu duas salas de ensaios no antigo quartel da GNR para todas as coletividades na sede do concelho. Quanto ao Teatro Alves Coelho, mesmo em frente à sede do município, a segunda metade do mandato ditará a sua requalificação. O projeto prevê que ali surja um espaço de desenvolvimento das artes, música e teatro. O objetivo é que a população possa “reviver” os tempos áureos.

05 ARGANIL AUTARQUIA LC  (44)

FOTO DB/LUÍS CARREGÃ

Museu do Rali vai nascer
na Cerâmica Arganilense

O espaço multiusos da Antiga Cerâmica Arganilense irá dar lugar ao Museu do Rali. O projeto vai avançar em breve e, de acordo com o autarca, contará com a exposição de 12 veículos automóveis “do tempo dos ralis no nosso concelho”.

Nos dois pisos, os visitantes terão ainda acesso a um simulador de condução com um “best of” dos troços do concelho no Rali de Portugal e que são bastante conhecidos internacionalmente. De tal forma que a banda desenhada “Rali em Portugal” (do original francês “5 Filles Dans la Course”, Dargaud editeur) de Michel Vaillant tem uma descrição minuciosa do troço de Arganil.

Este “pedaço” da história que relata a participação do herói Michel Vaillant na terceira edição do Rali Tap de Portugal, ocorrida em 1969, poderá ser conhecida dos visitantes do Museu do Rali.

Inaugurado em 2012

Depois de 20 anos de inatividade, o edifício da Antiga Cerâmica Arganilense ganhou nova vida em 2012. A 7 de outubro desse ano nasceu aquele que “é o maior investimento autárquico jamais realizado no concelho”. A obra custou seis milhões de euros e contou com o apoio do FEDER, através do Programa Operacional Temático de Valorização do Território (1, 3 milhões de euros) e do Mais Centro – Programa Operacional Regional do Centro (2,6 milhões de euros).

Com esta intervenção, o concelho passou a dispor de uma sala multiusos, um auditório com cerca de 250 lugares e uma Piscina Municipal.

One Comment

  1. this is a very nice post

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.