Vitória da coligação de direita no país e no distrito de Coimbra

Posted by

Paf-CJMCandidatos do PàF por Coimbra

A coligação PàF, com 36,83%, venceu as Eleições Legislativas de ontem a nível nacional, à frente do PS (32,38%). O Bloco de Esquerda mais que duplicou a representação parlamentar (10,22%), ultrapassando a CDU (8,27%). O partido PAN elegeu o seu único deputado, que é também o único dos pequenos partidos. O resultado no distrito de Coimbra deu também a vitória ao PàF, mas por uma diferença de apenas 1,90% sobre o PS, enquanto a votação no BE permitiu a este partido eleger o seu cabeça-de-lista pelo círculo.

Em todos os cinco concelhos do distrito lideradas por câmaras do PSD, a coligação de direita venceu: Arganil, Cantanhede, Mira, Pampilhosa da Serra e Penela. Já o contrário não é verdade: há 12 câmaras de maioria socialista, mas em cinco delas foi a coligação PáF, que obteve maioria de votos ontem à noite: Góis, Oliveira do Hospital, Penacova, Tábua e Vila Nova de Poiares. Portanto, a coligação ganhou em 10 concelhos, incluindo duas das quatro cidades: Cantanhede e Oilveira do Hospital.

Traçando uma tendência de voto nos concelhos do distrito de Coimbra, em comparação com os resultados das Legislativas de 2011, constata-se que, em média, a coligação PSD/CDS desceu cerca de oito por cento, o Partido Socialista cresceu cinco por cento, a CDU manteve o resultado ou subiu um por cento em cada concelho e o Bloco de Esquerda duplicou a votação de há quatro anos, passando à frente da CDU na esmagadora maioria dos concelhos. Só em Penacova a CDU ficou à frente.

A maior queda de votação da PàF foi em Vila Nova de Poiares, com menos 14 por cento do que em 2011. Em compensação o PS obteve aqui a sua maior subida, de nove por cento.

Por outro lado, mesmo com quebras, foi em Cantanhede, Mira e Penela que a coligação obteve as suas melhores votações por concelho, a rondar os 50 por cento, enquanto os melhores resultados do PS, a rondar os 40 por cento, foram em Soure, Góis e Lousã.

 

5 Comments

  1. Mas em Coimbra venceu o PS.E esta hem?:::Porque terá sido? …Será pelos pensionistas de luxo,que se sentem ameaçados….será dos milhares de funcionarios publicos,gravitando em redor dos institutos publicos…Um enigma.. funcionários publicos.. e outros organismos publicos

    • Henrique Costa says:

      Não Silva, onde venceu foi na periferia pobre, aquela que foi lixada pelo Sócrates quando estatizou a economia nacional fazendo a rodar à volta de Lisboa, desprezou a iniciativa privada, mudou serviços para outras cidades e reduziu os HUC quase para metade acabando com muito emprego na cidade! Foram esses que deram vitória ao PS. Esses, que o PSD mais defendeu, evitando a falência do país e tirando recursos ao mais abastados funcionários públicos e pensionistas para poder mesmo subir algumas das ajudas aos mais pobres, isto numa altura de quase falência, foram os que menos votaram no PSD. Os funcionários públicos mais abastados, votaram, claro porque sabem que sempre que há exageros depois há a falência e depois são sempre eles que se lixam… A capacidade de avaliar bem as situações e o dinheiro andam sempre juntos…

      • olhe que não Costa.olhe que não..Talvez a explicação seja a mesma que leva a U.C. a convidar um exgovernante das finanças Grego,que se levasse avante as politicas que pretendia ,talvez a Grécia já não existisse

        • Henrique Costa says:

          Oh Silva, peço desculpa mas não percebi bem a sua mensagem. Agora sobre a UC… presumo que deve ser a Faculdade de Economia. Mas há em Coimbra algum ninho de extrema esquerda mais forte do que na FEUC?!?!? É pena porque ao porem os seus interesses à frente dos da instituição mas nunca se deve esperar outra coisa da extrema esquerda, ou direita, verdade seja dita. Quem ganha é o ISCAC que com uma boa liderança e sem concorrência marcou pontos regionalmente, agora nacionalmente e em breve internacionalmente! É a vida como dizia o candidato a prémio Nobel…

  2. Ou será porque essas pessoas de que fala, exageradamente diga-se, e outras que por cá residem, em maioria, são pessoas mais bem informadas e instruídas que a maioria das pessoas dos concelhos limítrofes? Talvez devido ao nível de formação/informação/cultural/instrução e critico que não deixou que o discurso bafiento (de cariz salazarento até, a modos que: "isto devagarinho vai, com calma, sem barulho social, o povo é sereno e ordeiro, somos pobrezinhos mas honrados, mais vale o mal certo que temos a um mal maior que anunciam…") (onde já ouvimos isto? Ah, o Professor, o Professor… ) que não deixou, dizia, que tais pessoas fossem na cantiga da sereia, ou será no conto do vigário e por isso votassem mais nos partidos da esquerda.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.