Primeiro relatório do LNEC sobre o Metro já chegou à CCDRC

Posted by
ANA ABRUNHOSA, PRESIDENTE DA CCDRC. FOTO DB/LUÍS CARREGÃ

ANA ABRUNHOSA, PRESIDENTE DA CCDRC. FOTO DB/LUÍS CARREGÃ

O Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC) já enviou um primeiro relatório sobre o Sistema de Mobilidade Metro Mondego. A receção do documento foi confirmada ao DIÁRIO AS BEIRAS pela presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro (CCDRC), Ana Abrunhosa.

O documento, segundo a responsável, tem um cariz mais técnico e aponta “para a necessidade de termos mais dados relativamente aos modos de transportes alternativos”. Nas declarações, Ana Abrunhosa reconheceu que este documento ainda não aponta qualquer tipo de solução para a ligação entre Serpins e Coimbra.

Versão completa na edição impressa

5 Comments

  1. Zé da Gândara says:

    O melhor estudo sobre o assunto terá sido feito por um putativo elemento da administração da empresa pública "Metro do Mondego" no estabelecimento de diversão nocturna e diurna "Elefante Branco" em LX…

  2. Porque não se estuda a possibilidade de inserir no ramal da Lousã um sistema como existe em Lisboa, aqueles eléctricos compridos de carris que permitiria reconverter os velhos eléctricos que existiam na cidade colocando-os em funcionamento numa vertente turística, não só para a cidade mas também para as restantes vilas que anseiam por um acréscimo de turistas.
    Porque uma coisa é certa eu não vou arriscar a vida num sistema como o sr. primeiro ministro fala, quem me diz que o motorista não vira os tais autocarros na primeira ponte que aparecer?

  3. Porque não se estuda a possibilidade de inserir no ramal da Lousã um sistema como existe em Lisboa, aqueles eléctricos compridos de carris que permitiria reconverter os velhos eléctricos que existiam na cidade colocando-os em funcionamento numa vertente turística, não só para a cidade mas também para as restantes vilas que anseiam por um acréscimo de turistas.

  4. Vai dar banho ao cão em vez de estares a pensar em metros,comboios e eletricos

  5. Abilio Ferreira says:

    Parece que qualquer solução que apareça por melhor que seja, não interessa a ninguém. Parece que interessa mesmo é manter o "status quo" de sempre que é para alguém ir enchendo os bolsos à custa dos contribuintes. Na verdade se trata de uma vergonha que não é mais do centro do país mas uma vergonha nacional, um buraco sem fundo que nunca acaba e sem solução. Quando for inaugurado esse Metro de superfície ou qualquer outro nome que vier a ter, aí eu me calo.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.