Máscaras de cortiça devolvem Entrudo antigo a aldeias da Serra da Lousã

Posted by

444d9d8b-c866-4024-a2bf-5c576abd40b9.file

Um velho cortiço que albergou milhares de abelhas durante anos pode ser máscara por um dia na corrida do Entrudo da Serra da Lousã, que se realiza no dia 15, domingo, em aldeias do concelho de Góis.

Na sua casa de xisto da Aigra Nova, Manuel Claro, de 68 anos, molda uma máscara como se estivesse a produzir os cortiços tradicionais que preserva no seu apiário.

A banca de trabalho, as ferramentas e a matéria-prima servem para os dois fins.

Com as folias da juventude na memória, o agora reformado explicou um dia a Jorge Lucas que “um cortiço velho podia servir de máscara”, recorda o coordenador do Entrudo da Lousitânea – Liga de Amigos da Serra da Lousã, com sede naquela povoação, no distrito de Coimbra.

 

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.