Académica hipoteca pavilhão Jorge Anjinho e concessiona Bingo a espanhóis

Posted by

ASSEMBLEIA DA ACADEMICA 3 CJM

A maioria dos cerca de 60 associados da Académica, presentes ontem em Assembleia Geral, votaram favoravelmente a constituição da hipoteca do pavilhão Eng. Jorge Anjinho. Pretende-se realizar cerca de 290 mil euros, para servir de garantia ao pagamento de uma dívida de IRS relativa à transação do imóvel da sede dos Arcos do Jardim ocorrida em 2008.

Nessa época a Académica passou a ser proprietária do imóvel, numa transação que não envolveu dinheiro porque se baseou num acordo com a construtora Procac, como acerto de contas pelo que esta empresa devia ao clube. Todavia, a Autoridade Tributária não isentou a transação de IRS e aplicou um imposto de 211 mil euros à empresa que, entretanto, entrou em insolvência. Sendo a Académica detentora de 85% da sociedade, acabou por ser visada pelo fisco. Todavia, o presidente José Eduardo Simões diz que não tem qualquer obrigação de pagar o valor, que a longo dos tempos, com juros, já cresceu mais 80 mil euros

Assim, a Académica acionou um recurso hierárquico nas Finanças (que não tem efeito suspensivo), admitindo mesmo chegar aos tribunais para reaver o valor.

Numa assembleia geral tranquila 39 associados estiveram ao lado da direção nesta questão, enquanto três votaram contra e 16 abstiveram-se.

Ainda mais expressiva foi a votação da proposta de ceder a concessão e exploração do Bingo da Académica (que manterá o mesmo nome) a uma empresa espanhola

 

Toda a informação na edição deste sábado, dia 1 de novembro do DIÁRIO AS BEIRAS

4 Comments

  1. Marinho Perú says:

    Todos os clubes estão falidos.Era altutra de fecharem todos para balanço e começar de novo com projetos desportivos realistas.Que tal?

  2. Vasco Gama says:

    Hipotecaram o Pavilhão? Depois vão exigir que o Governo construa um novo?!

    • carlos costa says:

      Quando há dificuldade em entender a noticia!O pavilhão foi hipotecado no sentido de garantir o pagamento do montante reclamado pela administração fiscal enquanto é aguardada a decisão do Tribunal.Segundo vários especialistas em direito fiscal a AAC nada terá a pagar ao fisco!

  3. Zé da Gândara says:

    IRS (Imposto sobre Rendimento de Pessoas Singulares) devido a título de transacção de imóveis? Os bravos jornalistas do Charlie Hebdo das Beiras são o suprassumo do rigor na veiculação de notícias… Eu que nem sou Fiscalista e nem tão-pouco tive qualquer formação em Contabilidade / Fiscalidade, diria ainda assim que bem gostaria eu de ver o meu salário tributado à taxa do IMT, usualmente incidente sobre a transacção onerosa de bens imóveis acima do valor de transacção para o qual o adquirente está isento do pagamento desse imposto… Existindo tanta oferta formativa em Coimbra (Universitária e Politécnica, entre pública e privada) ao nível de Ciências Económicas e de Contabilidade e Administração, que tal o Charlie Hebdo das Beiras sponsorizar um curso em horário pós-laboral aos seus bravos jornalistas? Agora até há a figura do cheque-ensino que isenta a tributação dessa parte do salário (se assim se pode dizer, espero que não me caia nenhum pedregulho em cima lançado pelo Bastonário da Ordem dos Técnicos Oficiais de Contas devido a esta imprecisão) em sede de TSU e de IRS…

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.