Campanhas de milho e arroz comprometidas

Foto DR

Foto DR

 

Um fungo na cultura do arroz e as chuvadas que foram fatais para o milho estão a deixar os agricultores do Baixo Mondego bastante apreensivos. Sensivelmente desde julho que os agricultores se depararam com um fungo que está a destruir o arroz, tendo de imediato iniciado os processos de tratamento..
A Cooperativa Agrícola de Montemor-o-Velho (CAMV) e a Associação de Agricultores do Vale do Mondego (AAVM) solicitaram quinta-feira, uma reunião com caráter de urgência ao secretário de Estado da Agricultura, José Diogo Albuquerque, e à Direção Regional de Agricultura e Pescas do Centro.
José Armindo Valente, presidente da CAMV, acompanhado de José Pinto da Costa, da AAVM, falaram com o DIÁRIO AS BEIRAS sobre o fungo – piricularia –, que já causou prejuízos em cerca de 50 por cento das culturas de arroz, localizadas nos vales secundários do Mondego, nomeadamente Arunca e Pranto e no leito principal. Num universo de 6.000 hectares foram tratados cerca de 80 por cento, tendo resultado num benefício de 20 por cento, declararam.
“O fungo é provocado pelo excesso de humidade, bem como está associado a poucas horas de luz e a baixas temperaturas, o que beneficia o seu desenvolvimento”, explicaram José Armindo Valente e José Pinto da Costa. A piricularia destrói completamente a base da panícula provocando a morte total dos seus bagos.

Informação completa na edição impressa

 

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.