“Não há limite para a nossa ambição de fazer sempre mais e melhor” pelo concelho

João Moura, presidente da Câmara de Cantanhede, afirma que os sucessivos Governos têm reconhecido a importância da Expofacic. FOTO DR

João Moura, presidente da Câmara de Cantanhede, afirma que os sucessivos Governos têm reconhecido a importância da Expofacic. FOTO DR

Quais os objetivos para a edição deste ano da Expofacic?

Os objetivos são os mesmos de sempre: gerar novas dinâmicas para o evento, reforçar aqueles que são os seus principais fatores de atratividade e satisfazer da melhor forma possível as expetativas dos diferentes públicos, que, como sabemos, são mais exigentes a cada ano que passa. Os resultados desta orientação de fundo hão-de refletir o grau de concretização desses objetivos e nós pensamos que tudo irá correr pelo melhor, como em edições anteriores, quer ao nível da satisfação das entidades envolvidas, que procuramos que obtenham o maior retorno possível da sua participação, quer no que diz respeito ao entusiasmo dos visitantes, que terão de novo, seguramente, muitos motivos para isso.

Menos dias para combater a eventualidade do público ir menos vezes?

Não, não se trata disso. O facto de este ano o certame ter menos um dia que o ano passado e menos dois que 2012 tem a ver exclusivamente com o calendário. Procuramos que a Expofacic comece a 25 de julho, dia do feriado municipal de Cantanhede, e decorra durante 10 a 12 dias, até ao domingo da semana seguinte. É verdade que nem sempre é possível fazer coincidir a abertura do certame com o feriado municipal, mas como em 2012, o 25 de julho foi quarta-feira e em 2013 foi quinta-feira, considerámos que fazia sentido que a inauguração respeitasse essa data, ultrapassando os dez dias que são normalmente a duração do evento.

Que novidades vamos ter este ano?

Novidades pontuais há sempre, mas eu diria que a maior de todas é a que decorre do esforço de renovação que a comissão organizadora imprime em todas as edições. Respeita-se o figurino e a identidade construída ao longo dos anos, mas há sempre a preocupação de introduzir no programa novos e aliciantes motivos para estimular os diferentes públicos a visitarem o certame, o que, aliás, tem sido amplamente conseguido. Por exemplo, o cartaz de espetáculos acompanha sempre, na medida do possível, as últimas tendências do panorama da música internacional e isso, naturalmente, reverte em novidades, mas há outras mais, sobretudo ao nível da dinâmica cultural do certame e das exposições temáticas, sem esquecer o espírito de renovação com que as entidades intervenientes sempre encaram a sua participação.

Versão completa na edição impressa

 

2 Comments

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.