Alunos de países africanos dizem-se discriminados na ADA

Posted by
FOTO DR

FOTO DR

Alunos de São Tomé e Príncipe e de Cabo Verde, que frequentam a Associação Diogo de Azambuja (ADA) em Montemor-o-Velho expressaram, ao DIÁRIO AS BEIRAS, que estão a ser “vítimas de discriminação” por parte da instituição, “por não lhes ter sido pago o subsídio e bolsa a que têm direito, segundo legislação consultada em Diário da República”.

E explicam, que “aos alunos portugueses está a ser pago o 2.º subsídio de refeição [jantar]”. “O subsídio de refeição e alojamento que recebo é insuficiente para as necessidade básicas, o que compromete a minha vida e afirma a desigualdade existente entre os alunos, influenciando o desempenho escolar”, sublinhou um estudante, apontando a “desigualdade entre os alunos”.

Alguns dos 14 alunos em causa, fizeram uma exposição no livro de reclamações da ADA.

Versão completa na edição impressa

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.