Professor de 2.º ano da EB Quinta das Flores não deu notas de 3.º período

Posted by
Escola EB1 Quinta das Flores fica na rua Paulo Quintela. STREET VIEW GOOGLE MAPS

Escola EB1 Quinta das Flores fica na rua Paulo Quintela. STREET VIEW GOOGLE MAPS

Os alunos de uma das turmas do 2.º ano da Escola Básica da Quinta das Flores, em Coimbra, estão sem notas relativas ao 3.º período, informaram hoje os pais, que criticam o professor.

“Por impedimento devidamente comprovado não foi possível proceder à afixação da pauta de avaliação do 3.º período” da turma, refere um aviso na escola.

No entanto, o pai de uma das alunas, Seixas Peixoto, disse à agência Lusa que “as notas tinham de ser introduzidas numa plataforma e o professor não o fez”.

A atribuição das notas estava marcada para 18 de junho, o que não aconteceu, tendo sido marcada entrega para o dia 22 do mesmo mês, o que novamente não se verificou, contou o pai.

Desde 20 de junho, que o professor está de baixa médica.

O docente recusou fazer qualquer comentário, referindo apenas que a baixa se deve “a doença”.

Além da falha na entrega das notas, segundo Seixas Peixoto, o docente apresentava “várias falhas diárias gravíssimas de pedagogia”.

Nos livros escolares, “coisas que estavam erradas os alunos tinham certo”, “havia falhas de método de trabalho” e alguns testes foram adiados no 3.º período, contou.

Cristina Almeida, encarregada de educação, sublinhou que “caso não tivesse havido um enorme trabalho dos pais em casa, o próximo ano seria o desastre total”.

Outro encarregado de educação, Paulo Carreiró, afirmou que “o desenvolvimento dos alunos foi afetado”, recordando que “os trabalhos de casa passaram a ser de quando, em quando e por vezes nem sequer os corrigia”.

Além “dos elementos de avaliação”, também “os documentos para a renovação da matrícula não foram entregues” pelo professor, disse, referindo que, segundo a explicação dada aos pais pela diretora do Agrupamento de Escolas Coimbra Sul, Margarida Girão, “no limite, os alunos ficam com as notas do 2.º período”.

Margarida Girão confirmou à Lusa que o docente entrou de baixa na sexta-feira e que, em relação ao processo de avaliação, “está a ser cumprida a legislação”, recusando dar mais explicações sobre o assunto.

One Comment

  1. seixaspeixoto says:

    SERIA ÓPTIMO QUE FOSSE REVELADO O NOME DO PROFESSOR EM QUESTÃO "ANTÓNIO CRAVEIRO" E AS CRIANÇAS DA TURMA " B" COMO VÍTIMAS DESTA FALTA DE DEONTOLOGIA PROFISSIONAL .
    PODERÁ ESTA OMISSÃO, LEVAR ALGUNS DESCONHECEDORES DO CASO EM QUESTÃO A TECEREM COMENTÁRIOS DESAGRADÁVEIS OU CONFUNDIREM AS TURMAS DO 2º ANO SEUS RESPECTIVOS ALUNOS, ENCARREGADOS DE EDUCAÇÃO, PAIS E PROFESSORES , COMO JÁ ACONTECEU EM OUTROS JORNAIS.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.