Metro terá dinheiro para avançar de modo faseado

Posted by

06 pedro saraiva lc (28)

Tem defendido que o Metro Mondego é um projeto vital para o distrito de Coimbra. Vai conseguir ter financiamento comunitário?

É um processo antigo, até nesta casa, e que é muito relevante para a sub-região – , em vez de distrito, prefiro falar em sub-região, NUT III –, e assim foi reconhecido pelo grupo de trabalho que analisou os projetos estratégicos para o país.

Mas o Metro Mondego não está no ranking global de 30 projetos nacionais considerados infra-estruturas prioritárias?

Mais do que o ranking global, prefiro ler o documento e ver o que consta para cada modo de transporte. Aliás, dia 13 de fevereiro, o grupo de trabalho vem à CCDRC ouvir os membros do Conselho da Região sobre este estudo. Nas 411 páginas do estudo, projetos de natureza ferroviária para mobilidade urbana só estão dois: o Metro Mondego e a Linha de Cascais. No modo de transporte ferroviário são elencados 30 projetos e o Metro Mondego aparece 15.º lugar. Está lá, e atendendo às prioridades futuras da política de coesão, a que há mais de 100 milhões de euros investidos, a que há compromissos assumidos – de todo o tipo, inclusive no Parlamento, e eu fiz parte desse processo –, acredito que este projeto, de forma faseada, vai contar com o apoio de fundos comunitários 2014-2020. Não através do Programa Operacional Regional, mas de um programa temático, que é aquele que garantirá o grosso do que vai ser feito com fundos estruturais em Portugal, em matéria de acessibilidades. Mas continuaremos a estar atentos e defender o projeto.

Entrevista exclusiva na edição impressa

6 Comments

  1. Mas está tudo doido!!! Haja bom senso. Gastam o que não lhes custa a ganhar e que nós iremos pagar. Se o projecto Metro Mondego for para a frente (na parte respeitante à cidade de Coimbra) será mais um a dar prejuízo e depois cá estarão os Portugueses para pagar e ainda serão acusados de viver acima das possibilidades. Bando de incompetentes.

    • Henrique Costa says:

      Oh Manel e tu que és tão competente sabes quais são as estimitivas de custos proveitos da parte urbana e da parte suburbana? Pior que ser incompetente é falar sem saber e alimentar intrigas! Mais, já que estás tão preocupado, só este ano irão 600 milhões para o metro do Porto e 360 milhões para o de Lisboa. Coimbra não merece nada? É só na terra do Benfica e FCP que se gasta dinheiro de todo o país? Pensa nisso!

  2. luis saraiva says:

    façam um estudo "custo – beneficio" do metro(dentro da cidade) e divulguem-no, pronto. Sejam responsáveis e terão o apoio da população. Custa muito?

  3. É tão óbvio que este Manel é dos SMTUC! Deve estar com medo de perder o tacho.

  4. Maior cego é o que não quer ver XPê. Não sou dos SMTUC mas viajo nesses autocarros diariamente o que se calhar não acontece consigo.
    Senhor H. Costa recorre ao insulto, não sei porquê. Caro senhor: as más práticas não legitimam novas más práticas; se no Porto e em Lisboa fazem desta forma já chega de irresponsabilidade. Sugiro que pondere o que se pretende fazer e avalie qual o custo benefício como disse o Senhor Saraiva. Quase todo o povo se queixa da austeridade, de ter que suportar os encargos das obras faraónicas, do aumento de impostos para pagar a má gestão que beneficia alguns indivíduos. Você, Senhor H. Costa, deve ser daqueles a quem a austeridade não chega.

  5. Completar o Metro na cidade de Coimbra? Nem sequer fazem o de Miranda a Coimbra. Será que toda a gente se esquece dos milhões que já estão gastos na requalificação da linha Coimbra-Lousâ. Agora deixa-se apodrecer tudo o que já está feito e depois de tudo estar estragado, é que se começa outra vez as obras. Deixássem estar o comboio como estava. Se morássem políticos daqueles que fazem parte do governo de Passos Coelho, não tenho dúvidas de que o caso já estava resolvido. É que andar de camioneta naquela estrada, é um autêntico tormento. Eu quando me desloco a Miranda no meu carro, penso sempre nas pessoas que devem passar um tormento. Avancem com as obras sim senhora, já que a pior parte já está feita, agora é eletrificar a linha, por os carris e as carruagens. Quanto mais não seja, entre Coimbra e Lousã. Não se gastarm milhões no buraco do BPN? Estão à espera de quê?

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.