Objetivo: mais de 50 mil a Soure

Posted by

13 SOURE FESTAS LC  (1)O objetivo é mesmo esse: trazer todo o concelho ao coração da vila e ainda atrair uns milhares de pessoas de fora. A festa, “Soure da serra ao campo”, começa já hoje e prolonga-se até domingo e reúne, em três dias, o melhor da gastronomia, do artesanato, da cultura.

O programa é rico e denso e pode ser consultado nas páginas desta edição do DIÁRIO AS BEIRAS. Para além das feiras e do já habitual rua/esplanada, no centro urbano, com nove restaurantes, cafés, pastelarias a servirem, vai haver muita animação

A festa, num fim de semana em meados de julho, é já um hábito, em Soure. Pelo menos desde 1994, adianta o presidente da câmara, João Gouveia, recordando as sucessivas edições do certame de artesanato e gastronomia e, nos dois últimos anos, o Roteiro Gastronómico, já organizado com a Associação Empresarial de Soure.

 

Ver versão completa na edição impressa

2 Comments

  1. Fátima Nascimento says:

    Gastronomia a valer era no Parque da Várzea representando todas as freguesias de Soure com os seus sabores tradicionais..Como está, para mim, não tem sentido nenhum, Beber uma cerveja e comer caracóis, ir almoçar ou jantar a um restaurante, ir a uma pastelaria cá de Soure, praticamente todos já tiveram essa experiencia, agora comer um prato típico de uma determinada freguesia, penso que nem todos tiveram acesso,e os forasteiros muito menos,para além de tudo, existe muita coisa dispersada, tal como alguns doces de Soure, que não estão ao pé dos restaurantes,cafés e pastelarias,(uns estão, outros não..não percebo, nem compreendo..) não concordo com isto…de todo..esta é a minha opinião como residente que sou, de Soure.
    Obrigada pela vossa atenção.
    Fátima Nascimento.

  2. Leonel Quaresma says:

    Fátima, também concordo consigo. Não pela descentralização, mas sim pela ausência da mostra dos tradicionais pratos, tradições e artesanatos das freguesias. Na minha opinião o espaço onde era realizado, já se tornava exíguo. Também sou um munícipe desse concelho e sou adepto da anterior modalidade. Penso e compreendo que se tenha optado por este modelo, devido à conjuntura actual. Havia muita logística que era efectuada com meios humanos e materiais da autarquia, atenuada desta forma por comerciantes.
    Leonel Quaresma

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.