Opinião – Candidatura da UC esteve no Algarve (II)

Posted by

HELDER RODRIGUESHélder Rodrigues

A Tertúlia “A Universidade de Coimbra e o Algarve na Era das Descobertas”, que decorreu no Fórum Algarve em Faro, constituiu um êxito assinalável quer para a candidatura quer para Coimbra.

A professora Clara Almeida Santos (vice reitora da UC e face visível da candidatura) explicou os fundamentos da mesma e referiu a sua importância como projecto de carácter nacional. Concluiu referindo-se de forma elogiosa aos Lions, na pessoa do coronel Sá Matos (presidente do Lions do Algarve), que têm dado um grande apoio desde o inicio, na divulgação desta candidatura.

 

2.A perspectiva da Historia

O doutor Rui Loureiro (especialista dos Descobrimentos, ISMAT) salientou a profunda ligação entre a UC e o Algarve nas Descobertas:

1 ) A UC teve um papel chave na génese dos Descobrimentos por ser o centro de conhecimento e poder nesses tempos doirados da história. Desde logo; os seus viajantes, conhecedores do mundo, entre os quais é de destacar D. Pedro, duque de Coimbra, o homem das “7 partidas do Mundo”. Irmão mais velho de D. Henrique ao trazer-lhe informações valiosas, mapas e documentos relevantes daquilo que se passava para além do mundo conhecido de então. Depois; cientistas, investigadores, cosmógrafos, cartógrafos donde é justo destacar Pedro Nunes da UC. Um dos maiores do seu tempo, decisivo no desenvolvimento da navegação teórica e da cartografia.

Historiadores como Fernão Lopes de Castanheda com extensas informações geográficas e etnográficas das terras descobertas e das que se iam descobrindo.

2 ) Com base no conhecimento de Coimbra, no dinheiro de Viseu e no engenho dos artífices e da temeridade dos navegadores, iniciaram-se os Descobrimentos, a partir do Algarve em 1415, com a Tomada de Ceuta. Mais tarde, em 1432, com Gil Eanes, navegador algarvio, ao passar o Cabo Bojador Portugal “dava novos Mundos ao Mundo”, e marcava a letras de oiro a Historia Universal, ultrapassando-se a si próprio e fazendo abrir a boca de espanto todo o Mundo.

 

3.A perspectiva do Turismo

O dr. Desidério Silva (presidente do Turismo do Algarve), salientou:

1 ) A importância do Turismo no Mundo actual, com o aparecimento de turistas de Países emergentes desejosos de conhecer a Europa. A necessidade urgente que Portugal tem, de aproveitar e rentabilizar essas novas tendências e oportunidades.

2 ) A importância de Património classificado da Unesco em território português, como este da UC, é naturalmente um forte atractivo ao colocar Portugal com mais uma referência de grande prestígio nos roteiros turísticos internacionais.Temos que nos fazer valer pela nossa identidade. Nem sempre nós, os portugueses, sabemos fazer valer o nosso Património e os nossos valores. Portugal pode fazer isso e a imagem da UC é muito forte.

3 ) Algarve, UC e Coimbra três das marcas mais fortes que o nosso País tem para oferecer ao Mundo. Neste novo contexto das regiões de Turismo, a lei acabou por nos juntar. O país não é assim tão grande e é preciso que as regiões se complementem e não percam tempo com rivalidades menores que a todas enfraquece. As boas marcas têm que se unir e trabalhar juntas, e estas três marcas são muito fortes para ganharem sinergias entre si.

 

4.A perspectiva da política

O engenheiro Macário Correia (presidente da CM Faro) congratulou-se com a estadia da candidatura da UC no Algarve, e salientou: A importância duma maior aproximação cultural, social e económica entre as duas Regiões. Regiões que parecendo relativamente distantes em termos geográficos nacionais, têm tido laços comuns e profundos ao longo da Historia. E a terminar, juntou a sua voz à dos oradores que o tinham precedido expressando também ele, de forma veemente, os votos de um grande sucesso para a Candidatura da UC a Património Mundial da Humanidade.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.