Opinião – O sol e a peneira

Posted by

Ricardo CastanheiraRicardo Castanheira

Portugal, num ano, desceu duas posições no ranking global do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) das Nações Unidas. Hoje, está em 43º lugar. Se era preocupante, mais fica quando sabemos que Portugal foi o país com a maior variação negativa de todos os analisados.

Importa recordar que o IDH mede o progresso nacional em função de três dimensões básicas de Desenvolvimento Humano: a esperança de vida saudável, a educação e o rendimento para um padrão de vida decente. Ora, esta queda demonstra que Portugal está hoje muito pior que há um ano.

Enquanto isso, o governo português continua a errar nas contas públicas e a ganhar mais prazo apenas para mais sofrimento. O desnorte é tanto que o desemprego não pára de subir e o défice não desce nem à martelada.

Fico, pois, assustado quando ouço e leio o que é dito pela esmagadora maioria dos responsáveis políticos em diversos países do mundo. Desta vez não é um exclusivo de Portugal ou do Brasil, mas a verdade é que as agendas políticas estão cada vez mais desfazadas da realidade e daquilo que verdadeiramente interessa aos cidadãos, às organizações e às empresas.

Para melhor explicar, gostaria de partilhar alguns números, que pela sua dimensão e significado, merecem uma reflexão mais atenta: 69% da população global viverá em áreas urbanas em 2050; nos próximos 10 anos terão que ser criados 600 milhões de empregos; 1,5 biliões de pessoas não tëm acesso à rede elétrica; 2 biliões de pessoas terão mais de 60 anos ou mais em 2050, ou seja, mais do dobro do número atual; 75 milhões de jovens no mundo inteiro estão desempregados; 1 milhão de pessoas por dia são vítimas de crimes na internet;

-2/3 dos empregos disponíveis em 2020 ainda não foram inventados;

Em suma, vivemos num admirável Mundo novo cheio de desafios e de novas oportunidades para os quais apenas temos um conjunto de dirigentes bafientos, com discursos estafados e sem criatividade nem energia.

Quem não souber interpretar aqueles números – que na verdade são desafios – e não tiver ideias ou respostas para os mesmos não tem condições para governar cidades, estados ou países. Quando será que os cidadãos acordam e não deixam mais que outros tapem o sol com a peneira?..

 

One Comment

  1. Pingback: O sol e a peneira

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.