Opinião – Não é conspiração?

Posted by

M. Pignatelli Queiroz

Pignatelli Queiroz

Não é conspiração para tentar destruir a Igreja Católica? Deveria já ter prestado a minha homenagem a um grande Papa, que resignou. Saliente na fé, na sabedoria , na conciliação, na humildade.

Eram – e são – algumas das suas inspirações divinas. Mas, avançando na idade, no esforço impossível, na doença, foi inspirado a resignar. Avaliou, inteligente como é, um dos maiores cercos a que a Igreja Católica desde sempre esteve sujeita.

Em Portugal, não foi por acaso que agora surgiu o Tôrpe ataque a um dos seus vultos mais proeminentes , cá e no Mundo Católico. É preciso, pois, destruí-lo, para assim tentar atingir outros vultos determinantes para o futuro da Igreja.

Reportando a vários anos (!) vem agora um antigo seminarista acusá-lo de ser um assediador sexual, conjuntamente com outros padres e bispos. C.S. chama à liça um (infelizmente) bispo sem qualquer credibilidade ou o mínimo de bom senso , o cessante (que pena ele tem!) Bispo das Forças Armadas, Januário dos Reis Torgal. Será por acaso?… a “coincidência” de que há poucos dias foi anunciado que a Igreja Anglicana autorizou a nomeação de padres homossexuais para bispos desde que …não casassem?!… que a Assembleia Nacional de França – proveniência do jacobinismo impune que nos assolou por causa das invasões francesas (e antes) – permitiu o “casamento” de homossexuais e que o Senado vai reapreciar algo de aberante, a adopção por “casais” do mesmo sexo?!… que, agora, se generaliza a pedofilia na Igreja Católica (!) quando já existiu, comprovadamente, nos padres de outras confissões religiosas, quando já chegam quanto baste os infiltrados que pululam aqui e além?!

Será por acaso ter sido o diário italiano “La Republica” a gizar os casos de pedofilia, de homossexualidade no Vaticano, tendo como protagonista um “bibliotecário”? Não, não é por acaso: os infiltrados no Vaticano e na Igreja Católica, Apostólica, Romana em geral existem desde sempre com o olho posto na destruição.

Mas termino: as culpas dos membros realmente infiltrados devem ser duramente castigadas e, mais importante, “As portas do inferno não prevalecerão contra a Igreja “ e a conspiração em curso desvanecer-se-á como fumo negro.

Para a próxima, a justa e merecida referência à intervenção em Coimbra, do amigo e grande político e deputado europeu, Paulo Rangel.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.