Incêndio de Seia está “mais calmo” mas evolui em duas frentes

Posted by

O incêndio que desde domingo consome uma zona florestal em Seia está hoje “mais calmo” e evolui em duas frentes, disse à agência Lusa o presidente da Câmara Municipal local.

Segundo o autarca Carlos Filipe Camelo, o fogo que teve início pelas 21H10 de domingo, junto à localidade de Carragosela, tem duas frentes ativas, uma que segue em direção à aldeia de Sazes e outra para a zona de Rio de Mel, já no concelho de Oliveira do Hospital, distrito de Coimbra.

“O incêndio está mais calmo do que ontem [segunda-feira] e estamos à espera, a todo o momento, do auxílio de meios aéreos para atuar na frente que segue em direção a Sazes, em conjunto com os meios terrestres”, adiantou.

O autarca apontou que, no local, “há uma nuvem bastante grande de fumo”, mas espera que “não dificulte a atuação dos meios aéreos” que forem deslocados para o teatro de operações.

Carlos Filipe Camelo referiu que a noite “foi calma” e que o baixar da temperatura e o aumento da humidade” ajudaram nos trabalhos de combate às chamas, que lavram em locais de difíceis acessos.

Devido a este incêndio, os cerca de 30 habitantes de Sazes Velho, em Seia, passaram a noite no lar de idosos de Sazes da Beira, para onde foram retirados durante a tarde de segunda-feira.

Segundo o autarca, os moradores foram retirados das suas habitações “por questões de segurança”, dado que são pessoas de idade avançada e com mobilidade condicionada.

A frente de fogo que avançou para o concelho de Oliveira do Hospital também obrigou à evacuação de 41 pessoas de três povoações.

O vice-presidente da Câmara Municipal, Francisco Rolo afirmou que foram retirados de suas casas 18 moradores de Rio de Mel, 15 de Covão e oito de Parceiro, no âmbito de um plano de evacuação concebido para 100 pessoas.

“Na maioria, os evacuados são pessoas idosas destas três aldeias de montanha”, adiantou.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.