Opinião – Sabores de Gouveia

Posted by

Álvaro Amaro

Agora que chegou o verão, vêm-me à memória as coisas boas da minha infância. Em Gouveia, o verão não perdoa. As temperaturas elevadas quase nos transportam aos trópicos, apesar de termos a noção perfeita de que estamos em plena Serra da Estrela.

São daquelas coisas que têm uma explicação cientificamente comprovada. Pelo facto de estarmos no interior, a aragem refrescante do litoral chega aqui muito timidamente. Por essa razão, estou convicto de que temos o clima perfeito: frio e chuva no inverno e tempo quente e seco no verão. Pelo menos na minha meninice era assim; hoje, com as alterações climatéricas, as coisas já não são assim tão certas.

Guardo, porém, na minha lembrança, a fase de transição entre a primavera e o verão. De um momento para o outro, o verde dos arrelvados, salpicados com flores de milhentas cores, davam lugar, em poucos dias, ao amarelo da erva alta num ondular que algumas vezes confundia com as searas de centeio.

Nessa altura, o calor era mais abrasador, ou pelo menos é assim que o recordo.

O Domingo era sempre um dia muito especial. Depois de cumpridas em família as obrigações religiosas, rumávamos ao rio, que dista menos de 500 metros da casa onde nasci e vivenciei os melhores momentos da meninice. O correr sonolento do Mondego amainava o ar abafado que se fazia sentir no meio da minha aldeia.

Esse era o ritual de muitas famílias. Procuravam-se as sombras frescas de salgueiros e amieiros e “estendia-se” a mesa sempre farta.

Dizem que o ar da serra apura os sentidos e aguça o apetite, e talvez por isso se acha que aqueles petiscos, carinhosamente preparados, eram divinais. Tenho a certeza que foram todos esses prazeres que, anos mais tarde e já na qualidade de Presidente do Município de Gouveia, me estimularam a imaginar e a incentivar eventos que trouxessem de volta esses sabores. É o caso dos Tapiscos – Festival de Tapas e Petiscos que irá ter lugar em Gouveia de 6 a 8 de Julho e a Vinal, outro evento que tem como palco a freguesia de Vila Nova de Tazem e com data marcada para os dias 27, 28 e 29 de Julho, onde um dos pratos mais emblemáticos daquela freguesia, que é a Alambicada, será a rainha da festa, a par dos vinhos do Dão que aqui se produzem em quantidade e qualidade.

Caros leitores, que melhor vos posso oferecer do que convidar-vos a partilhar connosco os sabores antigos, visitando Gouveia nas datas que referi?

Aqui fica o desafio. Nós por cá iremos receber-vos de braços abertos.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.