GNR detém duas pessoas em Tábua e Oliveira do Hospital

Posted by

DR

Duas pessoas foram constituídas arguidas por presumível tráfico de droga em Tábua e Oliveira do Hospital, informou hoje o comandante do Destacamento Territorial da Lousã da GNR.

Em comunicado, o capitão Armando Videira revelou que as detenções ocorreram na terça-feira, no âmbito de buscas às residências dos suspeitos, uma mulher de 42 anos e um homem de 21 anos, respetivamente.

Em Tábua, a mulher estava a ser investigada há meio ano pelo Núcleo de Investigação Criminal (NIC) da GNR da Lousã, que lhe apreendeu seis pés de “cannabis sativa”, 14 sementes desta planta, cujos cultivo e comercialização estão proibidos, e uma balança de precisão.

Desempregada e residente na vila de Tábua, “foi constituída arguida e prestou termo de identidade e residência (TIR)”, segundo aquele oficial.

Também em Oliveira do Hospital, na madrugada de terça-feira, uma patrulha do posto local da GNR deteve um jovem por alegado tráfico de droga.

Com a colaboração de um colega “que acabara de sair de serviço”, os agentes vieram a intercetar o suspeito, que se tinha posto em fuga, “tendo na sua posse um saco de plástico” com 95 gramas de “cannabis”.

“Foram-lhe igualmente apreendidos 150 euros em dinheiro. Da detenção resultou ferimentos num dos militares, provocados pela iminência de ser atacado por um cão de grande porte que o acompanhava”, refere a nota.

Durante essa manhã, munida dos necessários mandados de busca, a patrulha, apoiada pelo NIC da Lousã, apreendeu uma balança de precisão, uma estufa para germinação e cultivo de “cannabis sativa”, vários fertilizantes, recipientes para acondicionamento da produção e 330 euros em dinheiro.

Residente em Oliveira do Hospital, o jovem, estudante, recolheu à cela da GNR, tendo sido depois presente a tribunal, que lhe decretou a medida de coação de apresentações semanais no posto local da corporação

One Comment

  1. uma vergonha para a familia mais ainda por ser reincidente

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.