Trabalhadora da Zendel apresentou queixa por alegada agressão do patrão

Posted by

DR

Uma trabalhadora da fábrica de confeções Zendel, no Tortosendo, Covilhã, apresentou queixa na GNR por alegada agressão por parte do patrão, adiantou hoje à agência Lusa o presidente do Sindicato Têxtil da Beira Baixa (STBB), Luís Garra.

Segundo referiu, a trabalhadora das confeções Zendel terá sido “empurrada e magoada num braço, em que sofreu contusões, tendo recebido assistência no Hospital da Covilhã. Isto para além da violência verbal”.

A situação terá acontecido a 19 de março e, segundo Luís Garra, depois de a funcionária “ter mudado de função e de ainda estar no período de adaptação” às novas tarefas, cuja execução não terá agradado ao empregador.

O presidente do STBB refere que as queixas de agressão verbal e intimidação “são vulgares” naquela empresa e este foi o primeiro caso em que teve conhecimento de ser consumada uma agressão física.

O sindicato denuncia ainda a existência de “ritmos de trabalho insuportáveis”, “trabalho suplementar sem pagamento” e “trabalho flexível sem respeitar as regras do Contrato Coletivo de Trabalho”.

Luís Garra defende que a Autoridade das Condições de Trabalho (ACT) “tem que intervir” neste e noutros casos para por fim a “situações lamentáveis e condenáveis”.

O STBB “tem apresentado queixas à ACT”, dado que lida com outras empresas “em que o clima de intimidação e a pressão psicológica violentam a dignidade das pessoas”, sendo que os últimos casos aconteceram a propósito da greve geral.

Entre outras, “as trabalhadoras ouviam frases por parte dos superiores como esta: se o dia da greve é teu, deixa que depois os outros são meus”.

Apesar das tentativas, ainda não foi possível contactar a empresa de confeções Zendel.

3 Comments

  1. alegada agressão do patrão; infelizmente ainda lemos destas notícias. Ficarei um dia satisfeito quando estes se transformar no dobro… melhor dizendo, de uma pessoa má fazer duas boas…

  2. jp diabo says:

    esse senhor é um bicho,tem a mania q é herói,um dia apareçe todo desfeito.a minha mulher trabalha la,é so quexas dele,um dia perco a cabeça

  3. revoltada says:

    este senhor educaçao foi coisa que nao sabe o que é.Já la trabalhei e sei bem como é.Mas graças a Deus foi pouco tempo, porque logo sai, mas assisti e fui vitima de muitas faltas de educaçao,.so comparo aquele ambiente a um campo de concentraçao.
    Para acabar passados quase 2 anos ainda ando a pedir que me paguem o que me devem.PODE SER QUE UM DIA DÊ COM UMA FILHA DE UMA VELHA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.