Coimbra associa-se à hora do planeta

Habitantes de todo o mundo são chamados a apagar a luz durante uma hora, em defesa do planeta, uma iniciativa hoje repetida pelo sexto ano, num alerta para as consequências das alterações climáticas.

Tal como aconteceu nos últimos anos, à medida que chegam as 20H30, em cada cidade aderente à Hora do Planeta, em 147 países e territórios, apagam-se as luzes de cada lar, mas também dos monumentos e edifícios mais emblemáticos, uma escuridão que pretende lembrar o papel de cada um, na opção por comportamentos menos agressivos para a natureza.

A Câmara de Coimbra associa-se à iniciativa da WWF -“A Hora do Planeta” – que pretende incentivar cidadãos, escolas e instituições a apagarem as luzes durante uma hora, mostrando, desta forma, o seu apoio à luta contra as alterações climáticas.

Neste sentido, a autarquia irá desligar, simbolicamente, este sábado,entre as 20H30 e as 21H30, a iluminação em alguns edifícios e monumentos da cidade, entre os quais se encontram o edifício dos Paços do Concelho, os Arcos do Jardim, o Colégio dos Órfãos, Contrafortes de Santa Cruz, as igrejas da Sé Nova e Sé Velha, o Convento de Santa Clara-a-Nova e a Torre d’Anto.

O município junta-se, assim, pelo segundo ano consecutivo, a este movimento, que este ano desafia todos os cidadãos ao compromisso “Apaga as luzes e vai além da hora”.

Em comunicado, a autarquia apela, ainda, a que, quando as luzes “forem novamente acesas, todos reflitam sobre o que cada um poderá fazer para ajudar a marcar a diferença”.

No mundo

O primeiro local a ficar às escuras é a ilha Chatham, na Nova Zelândia, seguindo-se mais de cinco mil cidades e vilas, pelo menos 83 delas em Portugal. Pela primeira vez, o apagão chega ao espaço, através da participação da Estação Espacial Internacional.

“Cada um de nós desempenha um papel importante para fazer a diferença no mundo em que vivemos. Vamos celebrar o nosso compromisso com o planeta e inspirar pessoas à nossa volta a agirem”, sugeriu Angela Morgado, da World Wildlife Fund (WWF) em Portugal.

A Hora do Planeta, iniciativa da WWF, tem o apoio de várias personalidades e organizações de várias áreas, como a modelo Miranda Kerr, o diretor executivo da Greenpeace Internacional, Kumi Naidoo, o ex-vice-presidente dos EUA, Al Gore, André Kuipers, da Estação Espacial Internacional, a FIFA, a UEFA, o Manchester United, os Hotéis Hilton, as Nações Unidas ou a Universal Pictures.

Em Portugal, dão a cara pela iniciativa a atriz e modelo Sandra Cóias, a cantora Rita Guerra, as atrizes Joana Seixas, Cristina Cunha e Sylvie Dias, o fadista Camané, os Anjos (Sérgio e Nelson Rosado), o maestro Vitorino d’Almeida e o humorista Quimbé.

A escuridão deverá “cair” sobre monumentos mundialmente conhecidos como a Ópera de Sydney, a Torre de Tóquio, a Grande Muralha da China, o Estádio Nacional de Pequim (Ninho de Pássaro), a Gateway of India, o Museu da Líbia, a Biblioteca Nacional da Bielorrússia, a Torre Eiffel, em Paris, as Portas de Brandenburgo, em Berlim, a Torre de Pisa, a cúpula da Basílica de São Pedro, no Vaticano, o Palácio de Buckingham, em Londres, ou a Times Square, em Nova Iorque.

Em Portugal, está previsto que se apaguem as luzes da Torre de Belém, do Mosteiro dos Jerónimos, do Cristo-Rei, da Ponte 25 de Abril e do Museu da Electricidade, do Santuário dos Remédios, em Lamego, do Mosteiro do Landim, da Igreja Matriz, em Fafe, do Castelo de Leiria, da Ponte e largo de S. Gonçalo, em Amarante, do Museu Marquês de Pombal, o Castelo de Campo Maior ou as Muralhas de Serpa.

As iniciativas a favor da defesa do planeta vão além do apagão e, em Portugal, incluem a parada de velas, na Praça do Município, em Lisboa, ou uma caminhada com candeias a azeite, em Góis.

A Hora do Planeta é uma iniciativa da WWF e convida cidadãos, empresas, governos e comunidades a desligar hoje as suas luzes por uma hora para mostrar seu apoio à ação ambientalmente sustentável.

Em 2011, a Hora do Planeta teve a participação de 135 países e territórios em todos os continentes.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.