Uma escola de turismo para a Guarda

 

Joaquim Valente

No passado dia 20, foi dado um passo importante para o turismo da Beira Interior: a celebração da escritura entre a Câmara Municipal e o Turismo de Portugal, que vai permitir a instalação da primeira Escola de Hotelaria e Turismo de Portugal na Guarda.

Num futuro muito próximo que é já amanhã, o turismo continuará a ser um dos pilares fortes do crescimento competitivo do nosso país. O turismo não é um “mero ofício” de amadores, mas uma arte de muitos, onde a formação, o profissionalismo, o saber fazer abrangente e a inovação, são as competências exigidas aos agentes envolvidos naquela área.

A Escola de Turismo da Guarda será a resposta a tudo isso, em consonância total com o Plano Estratégico Nacional, em que se privilegia a instalação daqueles estabelecimentos em zonas nobres de cidades nevrálgicas para o sector, valorizando ao mesmo tempo o património já construído e revitalizando zonas urbanas envolventes.

Assim aconteceu por todas as cidades do País, onde o Turismo de Portugal instalou escolas, sendo a última, a da Guarda. Assim a Escola ficará instalada num edifício histórico, emblemático e marcante da cidade, o velho Hotel Turismo projectado nos anos 40 bem no coração da urbe projectado por Vasco Regaleira.

As razões que presidiram à escolha da cidade pelo Turismo de Portugal resumem-se ao seguinte:

A Guarda é um pólo de desenvolvimento turístico da Serra da Estrela e com vocação de centro académico; é a primeira cidade “bioclimática” Ibérica numa área de forte termalismo, com turismo rural e da natureza; tem carência formativa especializada e técnica de recursos humanos, em particular no sector das termas e de SPA, e dispõe de um espaço arquitectónico com as características que o Turismo de Portugal procura, passando a dar-lhe uma nova vitalidade.

A infra-estrutura será dotada de um Hotel de Aplicação, Restaurante, Auditório e SPA com meios tecnologicamente evoluídos, com capacidade para 250 alunos num raio de influência nos Distritos da Guarda e Viseu, e com a possibilidade de internacionalização com a Espanha.

Tem oferta formativa profissional Nível IV e V direccionando-se especialmente em três produtos PENT, no pólo da Serra da Estrela: o Turismo da Natureza, Saúde e Bem-estar e Turismo Cultural e Religioso, e também proporciona formação contínua aos profissionais do sector do Turismo ao público em geral.

Os curricula são aprovados pela “École Hoteliére de Lausanne” e os custos do projecto, construção e equipamentos serão comparticipados a 70% pelos fundos comunitários do QREN, com início de obra em 2012 e abertura prevista em 2013.

Pretende colaborar com o Instituto Politécnico da Guarda, nas competências formativas, e vai potenciar a proximidade aos centros termais, às unidades de turismo no espaço rural, Parque Natural da Serra da Estrela, rede de aldeias históricas e outros empreendimentos turísticos existentes e previstos, deixando espaços para outras iniciativas privadas na área do turismo e do lazer.

Todas estas razões são mais que suficientes para que não deixássemos de lutar por este projecto com determinação e convicção dado o alcance local, e regional no eixo Guarda – Viseu, quando o que está em causa é sobretudo o interesse da Res pública.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.