Terrenos por limpar em redor de casas isoladas e povoações na “mira” da GNR

Foto Francisco Barbeira/LUSA

O Serviço de Proteção da Natureza e do Ambiente (SEPNA) da GNR está a dedicar especial atenção a situações de terrenos por limpar, em redor de casas isoladas e de povoações, do distrito da Guarda.

Para minimizar o risco de incêndio e evitar a repetição de situações de anos anteriores, com fogos que atingiram casas e aglomerados populacionais, o SEPNA tem em mãos o levantamento dos casos “mais preocupantes”, anunciou o seu responsável.

Segundo o major Silva Lourenço, chefe da secção SEPNA do Comando Territorial da GNR da Guarda, que na sexta-feira promoveu uma ação no terreno para divulgar a missão dos guardas, “a prevenção de incêndios florestais e a defesa da floresta contra incêndios” são preocupações do momento.

O responsável referiu que, no âmbito do Plano Distrital de Prevenção relativo a aglomerados populacionais, edificações isoladas e perímetros florestais, o serviço está a dar especial atenção a este assunto.

“Há questões relacionadas com a limpeza dos matos à volta dos aglomerados populacionais e de habitações isoladas que nos preocupam bastante”, declarou à Agência Lusa.

Silva Lourenço adiantou que os guardas estão a realizar diariamente “ações de fiscalização para verificar os incumprimentos”.

Entre janeiro e o dia 15 de maio, o SEPNA levantou 29 autos a particulares que não procederam à limpeza dos terrenos, salientou.

Os casos detetados “são relatados e enviados à entidade administrativa competente” para que posteriormente sejam acionados os mecanismos legais que conduzam à notificação dos proprietários e aplicação de eventual coima.

“Há casos em todos os concelhos do distrito da Guarda”, disse, admitindo que as situações mais críticas ainda possam ser “resolvidas a curto prazo”, antes da época crítica de incêndios.

Prevenir, detetar e investigar as causas de incêndios florestais, proteger o património natural e zelar pelo cumprimento da legislação florestal, da caça e da pesca, são algumas das atribuições do SEPNA.

Durante a ação realizada no concelho do Sabugal foram explicados procedimentos do dia a dia, como situações de incumprimento de limpeza de terrenos, investigação de incêndio, recolha de água para análise e fiscalização de pescadores na albufeira da barragem da Senhora da Graça.

Os habitantes da região já se habituaram à presença dos guardas da natureza, como é o caso do pescador Tiago Monteiro.

Foi abordado pela patrulha e não se mostrou preocupado, alegando que já foi fiscalizado muitas vezes e “nunca” teve problemas.

O SEPNA da Guarda dispõe de um total de 47 homens, adiantando o seu responsável que o dispositivo será reforçado “em breve”, com a entrada de mais dois elementos.

“Os meios humanos e materiais são os necessários e suficientes para o cumprimento da missão”, garantiu Silva Lourenço.

Na área abrangida, encontram-se os Parques Naturais da Serra da Estrela e do Douro Internacional e a Reserva Natural da Serra da Malcata.

2 Comments

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.