Eduardo Lourenço diz que o país “nem sequer está em estado de choque”

O ensaísta Eduardo Lourenço disse esta segunda-feira (9) na Universidade de Aveiro (UA) que a sociedade portuguesa ainda não tomou verdadeira consciência das dificuldades económicas, afirmando que o país “nem sequer está em choque”.

“Embora se fale nisso continuamente, a verdade é que o país nem sequer está em estado de choque, como normalmente devia estar”, disse Eduardo Lourenço à agência Lusa, em declarações à margem do congresso “A Europa das nacionalidades”, em que participou.

“Vamos entrar num período de vacas magras, em que teremos não só de apertar o cinto, mas de modificar o nosso comportamento, particularmente económico e de consumidores”, afirmou.

Sobre as medidas negociadas com a ‘troika’ internacional pelo Governo português no âmbito da ajuda externa, Eduardo Lourenço disse que “era inevitável qualquer coisa como um plano deste género”, para solucionar o problema do país estar endividado “além do que era admissível”.

O ensaísta participa no congresso internacional “A Europa das Nacionalidades – Mitos de Origem: discursos modernos e pós-modernos”, decorre UA, entre esta segunda e quarta-feira (11), reunindo cerca de 300 investigadores de todos os continentes.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.