Um empate que não serviu ninguém

Foto Carlos Jorge Monteiro

Naval e Sporting de Braga empataram esta segunda-feira sem golos na Figueira da Foz, na 21.ª jornada da Liga de futebol, resultado deixa a turma figueirense em complicada na luta pela manutenção e os ‘arsenalistas’ longe da Europa.

Para os minhotos, a vitória era tida como imprescindível, mas a equipa de Domingos Paciência não evitou o terceiro jogo sem vencer e permanece ainda a quatro pontos da zona europeia.

Por sua vez, os da Figueira da Foz necessitavam de vencer, sob pena de comprometerem quase definitivamente o objetivo de manutenção e desperdiçarem a oportunidade de se aproximarem do Vitória de Setúbal (14.º com 19 pontos).

Face ao jogo com o Setúbal (1-1), Carlos Mozer fez regressar Gómis ao eixo central da defesa, mantendo de resto os mesmos jogadores que vem utilizando desde há quatro jornadas.

Depois do jogo com o Lech Poznan, da Liga Europa (vitória por 2-0), Domingos Paciência chamou ao “onze” Vinicius e Ukra, relegando para o banco Mossoró e Hélder Barbosa.

A Naval entrou na partida de forma decidida e ao minuto cinco teve ensejo de inaugurar o marcador. Godeméche na frente de Artur Moraes rematou em jeito, porém, o esférico acabou por sair junto ao poste.

O Braga rapidamente equilibrou as operações, a partida começou a desenvolver-se no centro do terreno, contudo as intenções dos dois conjuntos morriam sistematicamente no último terço do terreno.

Na entrada do último quarto de hora os bracarenses começaram a ganhar algum ascendente aparecendo nas proximidades da baliza figueirense. Ukra e Vinicius, com dois bons remates (30 e 32), testaram os reflexos de Salin.

Ainda não tinha decorrido o primeiro minuto da etapa complementar, quando Alan deixou aviso das intenções da sua equipa ao rematar ao travessão.

Domingos Paciência foi o primeiro a iniciar a “guerra” dos bancos, deixando Vinicius no balneário e lançando Mossoró, dez minutos antes de nova alteração com a saída de Alan e a entrada de Hélder Barbosa.

Ao minuto 56, o golo esteve à vista para a Naval, quando Camora cruzou e Fábio Júnior, de primeira, rematou à base do poste.

A partida aumentou de intensidade e o perigo começou a rondar as duas balizas.

Ao minuto 67, o Braga desperdiçou na sequência do mesmo lance duas oportunidades de chegar à vantagem, por Hélder Barbosa, que permitiu a defesa a Salin, e Ukra, que, na recarga, atirou contra as costas de Godeméche.

Ao minuto 85, Ukra ultrapassou tudo o que lhe apareceu no caminho e, já na área, assistiu Meyong, que displicentemente desperdiçou soberana oportunidade de inaugurar o marcador.

Já em tempo de descontos, Simplício evitou dois adversários entrou na área isolado e com o guardião bracarense na cara rematou ao lado gorando a ultima oportunidade de vitória da sua equipa.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.