Protesto dos alunos do ensino básico e secundários pouco visível nas escolas

Arquivo

O protesto dos alunos do ensino básico e secundário contra as políticas do Governo, no Dia do Estudante, é pouco significativo nas escolas, com as aulas a decorrerem normalmente. As principais escolas da cidade de Coimbra encontram-se esta manhã (24) a funcionar normalmente, não sendo sentidos os efeitos das comemorações do Dia do Estudante, revelaram à Lusa os seus diretores.

“Está a ser um dia perfeitamente normal”, afirmou o diretor da Escola Secundária José Falcão, Paulo Ferreira, frisando que todas as turmas estavam em funcionamento. Maria do Rosário Gama, diretora da Escola Secundária Infanta D. Maria declarou que “as aulas estão a funcionar normalmente”, enquanto que o seu homólogo da Escola Secundária da Quinta das Flores, Francisco Sobral Henriques, disse que “se houve alguns alunos que faltaram não se notou”.

Também uma fonte da Escola Secundária Martim de Freitas expressou idêntica opinião, mas todos os diretores admitiram que alguns alunos possam ter faltado para participar numa manifestação prevista para esta manhã na Praça 8 de Maio, em Coimbra. Catarina Ferreira, presidente da associação de estudantes da Escola Secundária Avelar Brotero, disse que não estava a participar na manifestação por ter algumas atividades escolares a desenvolver, mas adiantou que alguns colegas o estavam a fazer.

A Lusa procurou contactar outros presidentes de associações, nomeadamente das escolas D. Maria, D. Dinis e Quinta das Flores, mas todos eles estavam telefonicamente incontactáveis. Fonte do Comando Distrital da PSP, cerca das 10H00, disse ainda não ter conhecimento de desfiles de grupos de estudantes pelas ruas da cidade em direção ao local da concentração, a praça 8 de Maio.

Guarda

Também na Guarda, a adesão dos alunos dos ensinos básico e secundário ao protesto é pouco significativa. Na Escola Secundária Afonso de Albuquerque, a maior da cidade, “as aulas estão a funcionar” embora faltem “alguns alunos”, segundo o diretor António Soares.

Já na Escola Secundária da Sé, a segunda maior da Guarda, “gerou-se alguma confusão” por volta das 08H30, com a concentração de alunos junto da entrada, mas “às 09:00 as aulas decorriam com normalidade”, segundo a direção. A fonte adiantou que a adesão à greve “não é muito significativa” admitindo que “talvez não chegue aos 25 ou 30 por cento”, estando as “aulas a decorrer e os professores a trabalhar normalmente”.

Neste dia, a Escola C+S de S. Miguel também regista uma “adesão residual” ao protesto nacional, segundo uma fonte da direção. Nas escolas Carolina Beatriz Ângelo e de Santa Clara, as aulas decorrem com normalidade. A GNR de Seia foi hoje (24) de manhã chamada à escola secundária local para abrir os portões de acesso que estavam “fechados a cadeado”, mas não houve incidentes e as aulas foram iniciadas com normalidade.

Viseu

Em Viseu, o Dia do Estudante está a ser vivido com normalidade pelos alunos, segundo afirmaram à Lusa fontes das três secundárias e de vários agrupamentos de escolas da cidade. Fonte da GNR garantiu também não ter conhecimento de “qualquer situação anormal” nas escolas do distrito.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.