Álvaro Amaro eleito presidente do Conselho Regional da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento da Região Centro

Foto de Carlos Jorge Monteiro

Álvaro Amaro, presidente da Câmara Municipal de Gouveia, foi hoje (16) eleito presidente do Conselho Regional da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento da Região Centro (CCDRC), sucedendo a Carlos Encarnação, que abandonou a liderança do município de Coimbra em dezembro.

À eleição do presidente do Conselho Regional do Centro a da sua Comissão Permanente´apresentou-se apenas a lista liderada por Álvaro Amaro, que obteve 45 votos favoráveis, 13 votos contra, cinco brancos e dois nulos. A escolha de uma nova Comissão Permanente foi suscitada pela demissão de Carlos Encarnação, que renunciou à presidência da câmara de Coimbra, em dezembro de 2010, alegando, designadamente, estar “farto de aturar o Governo”.

Além da entrada de Álvaro Amaro, para o lugar do também social democrata Carlos Encarnação, a Comissão Permanente do Conselho Regional do Centro passa a integrar José Brito, autarca de Pampilhosa da Serra, que ocupa a vaga aberta pela saída de Júlio Sarmento, presidente do município de Trancoso, também eleito pelo PSD.

Transitam da comissão anterior os restantes cinco elementos: os socialistas Afonso Abrantes (que se permanece como vice-presidente do órgão), Fernando Carvalho e João Ataíde, presidentes das câmaras de Mortágua, Lousã e Figueira da Foz, respetivamente, e os sociais democratas Irene Barata e António Lucas, autarcas de Vila de Rei e da Batalha.

“Espero que o Conselho, cumprindo as suas competências legais”, crie condições no sentido de contribuir para que “a Região Centro tenha uma voz cada vez mais forte e se afirme cada vez mais”, a nível nacional e no exterior, afirmou à Lusa, no final da reunião, Álvaro Amaro.

Órgão de natureza consultiva, o Conselho Regional é composto pelos presidentes dos 78 municípios que integram a CCDRC, dois representantes das freguesias e um de cada entidade com assento na comissão permanente de concertação social do Conselho Económico e Social. Fazem igualmente parte daquele órgão dois elementos indicados pelas universidades sediadas na região e um pelos institutos politécnicos, um representante da Associação Nacional das Regiões de Turismo e outro das organizações não governamentais do ambiente.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.