Orquestra Juvenil do Centro em concerto no Pavilhão de Portugal

A contar uma década de atividade ininterrupta e, desde janeiro de 2008, a residir e a programar o Pavilhão Centro de Portugal, a Orquestra Clássica do Centro (OCC) concretizou em 2010 dois projetos estruturantes no seu trajeto de intervenção e dinamização cultural: a criação de um coro e a estruturação da Orquestra Juvenil do Centro.

Ambos os projetos, orquestra e coro, têm apresentações agendadas para breve. A Orquestra Juvenil do Centro apresenta-se em concerto de estreia no próximo domingo, 20 de fevereiro, às 18H00, no Pavillhão Centro de Portugal. O Coro OCC – formação a contar com 65 elementos e que se apresentou pela primeira vez em dezembro último – volta ao convívio do público em abril próximo, com “Requiem”, uma das mais impressivas obras de Mozart.

Como tem sido habitual nos últimos anos, a OCC celebra a época carnavalesca com um concerto – onde todos, músicos e público, devem apresentar-se mascarados –, agendado para 7 de março, às 21H30, no Pavilhão Centro de Portugal.

Prosseguindo a missão de “levar a música, em especial a música clássica ou erudita às pessoas e, de uma forma particular, às pessoas da Região Centro”, como adiantou Emília Martins, responsável pela direção da Associação OCC, neste momento estão já agendados concertos um pouco por todo o país para decorrerem durante os próximos meses, nomeadamente em Cantanhede, Porto, Lisboa, Arouca, Sesimbra, Ovar, Santa Maria da Feira (Europarque) ou Penedono.

Considerada de superior interesse cultural pelo Ministério da Cultura – que, ainda assim, continua a não considerar o projeto musical nascido em Coimbra para efeitos de apoio efetivo à sua atividade –, a OCC encontra-se abrangida desde então pela Lei do Mecenato Cultural (atual Estatuto dos Benefícios Fiscais), cujos contributos continuam a suportar parte importante das suas iniciativas. Marcada desde a sua fundação até junho último pela personalidade de Virgílio Caseiro, seu maestro titular, que saiu em protesto pela contínua falta de apoio do ministério da tutela, a OCC é hoje dirigida pelo maestro Artur Pinho Maria.

Desde a sua fundação, em 2001, a orquestra com sede em Coimbra tem realizado um trabalho ininterrupto de divulgação e promoção da música erudita em toda a região Centro. A orquestra, com formação clássica, é composta por 32 músicos profissionais, selecionados através de concursos públicos.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.