Comissão de revisão do projeto do Metro Mondego reúne hoje

Spread the love

A comissão criada para rever o projeto Metro Mondego vai reunir esta terça-feira às 15H00, pela primeira vez, nas instalações do Ministério das Obras Públicas, Comunicações e Transportes (MOPCT).

Esta estrutura foi criada na sequência de uma reunião dos autarcas da Lousã, Miranda do Corvo e Coimbra com o secretário de Estado dos Transportes, Correia da Fonseca, realizada a 2 de fevereiro, em que o governante assumiu o compromisso do Governo de executar o projeto Metro Mondego entre Serpins (Lousã) e Coimbra-Portagem até 2014.

A comissão é constituída por elementos indicados pela sociedade Metro Mondego, as três autarquias e a Secretaria de Estado, para ver “que simplificações é que se pode fazer ao projeto, no sentido de o tornar menos oneroso e cumprir a sua vocação fundamental que não é embelezar cidades mas oferecer soluções de transportes para as pessoas”.

Segundo fonte do MOPCT, a comissão tem como objetivo “encontrar soluções de redução não essenciais do projeto”, devendo apresentar uma proposta no prazo de “60 dias após a assinatura” do despacho pelo secretário de Estado Correia da Fonseca.

Carlos Ferreira, elemento indicado pela autarquia de Miranda do Corvo, disse à agência Lusa que a comissão deve ser “essencialmente eficaz na eliminação de todos os eventuais custos que possam reduzir o valor global do projeto, sem colocar em causa a solução final”.

“Espero que a comissão trabalhe bem e rápido para não ser ela também um fator de atraso nas obras”, sublinhou Carlos Ferreira.

O técnico da autarquia de Miranda do Corvo defendeu ainda que deve ser acordado “um calendário, com datas exatas, para o lançamento de todos os concursos e adjudicações necessárias para colocar o metro a funcionar entre Serpins (Lousã) e Coimbra Portagem até 2014, conforme prometido pelo secretário de Estado, e para as fases seguintes”.

2 Comments

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.