Câmara de Pombal cria centro de negócio no centro histórico da cidade

Foto de Gonçalo Manuel Martins

A Câmara de Pombal vai instalar um centro de negócios na sede do concelho, um investimento de cerca de um milhão de euros que pretende acolher empresas e serviços públicos, disse o presidente da autarquia.

Narciso Mota explicou que a autarquia “está a recuperar dois edifícios degradados”, situados no Centro Histórico da cidade de Pombal, que vão ficar “interligados”.

“O objetivo é que seja ocupado pelas Finanças, havendo ainda uma área para promover o empreendedorismo”, adiantou Narciso Mota, considerando que se trata de “mais um projeto para revitalizar Pombal”.

Admitindo dificuldades na execução das obras em curso devido a condicionantes impostas pelo Instituto de Gestão do Património Arquitetónico e Arqueológico para a recuperação de um dos prédios, o autarca esclareceu que “estão a ser consideradas alterações” ao projeto no sentido de tornar o futuro centro de negócios mais funcional.

Segundo o presidente do município, a opção por instalar o centro de negócios na sede do concelho e não numa das zonas industriais deveu-se à proximidade de outros serviços públicos, mas também à necessidade de requalificar os edifícios.

“Somos agentes interessados na dinamização do Centro Histórico e não apenas na preservação arquitetónica do seu edificado”, justificou Narciso Mota, referindo que as obras deverão ficar concluídas até ao próximo ano.

Sem precisar o número de empresas que o espaço poderá albergar, o responsável acrescentou que neste momento “estão a ser feitos contactos” para potenciais interessados em ocupar o futuro centro de negócios.

Para o autarca, o objetivo do espaço é “fomentar a criação de empresas” e “proporcionar aos agentes económicos condições para a sua fixação”, de forma a assegurar “mais postos de trabalho e o desenvolvimento do concelho”.

Narciso Mota sublinhou que a criação do centro de negócios está integrada num conjunto de obras no âmbito das Parcerias para a Regeneração Urbana, no valor de cerca de 13 milhões de euros, financiadas em 80 por cento pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.

A este propósito, Narciso Mota realçou os trabalhos de reestruturação da área histórica, orçamentados em 3,8 milhões de euros.

As obras incluem, ainda, entre outros investimentos, a valorização paisagística do Castelo de Pombal e da área envolvente, em processo de finalização, ou a recuperação da ponte D. Maria e respetivos acessos, a começar a curto prazo.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.