A maior estação de tratamento da região

A ministra do Ambiente inaugurou, ontem, em Coimbra a Estação de Tratamento de Águas (ETA) da Boavista. Um “investimento âncora” que, nas palavras de Dulce Pássaro, é “fundamental para um modelo adequado de desenvolvimento que as sociedades devem ter”.

Depois de uma fase inicial de testes, a ETA da Boavista e sistemas de distribuição de água reforçam a garantia de um correto controlo da água que chega a casa das pessoas através de 37 reservatórios, 13 estações elevatórias e 145 quilómetros de condutas. Um investimento que se traduz em 50 milhões de euros e que vai beneficiar cerca de 250 mil habitantes dos concelhos de Coimbra, Miranda do Corvo, Mealhada, Condeixa-a-Nova, Lousã e Penela.

“É a maior ETA da região Centro e a 5.ª ou a 6.ª maior a nível nacional”, afirmou, na cerimónia, o presidente do conselho de administração da Águas do Mondego. A partir daquele complexo, as águas captadas no rio Mondego estão já a servir o município da Mealhada (setor Norte). Terminado está, também, o sistema adutor para Miranda do Corvo, estando em fase de obras o prolongamento para os concelhos da Lousã e Penela (que deverão estar concluídos em meados de 2001). Para Sul, a ETA já está a servir o concelho de Condeixa-a-Nova.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.