Vítor Baptista desvincula-se da elaboração da lista para a Câmara da Figueira

Posted by

O recandidato à liderança da Distrital do PS escreveu uma carta aos militantes de Tavarede, no dia anterior às eleições. Na missiva, Vítor Baptista explica que, “na reposição da verdade, é bom que os camaradas saibam que a lista aprovada para a câmara foi da exclusiva responsabilidade do candidato (João Ataíde)”. Vontade que, afirma, respeitou.

Contatados pelo DIÁRIO AS BEIRAS, vários militantes tavaredenses do PS afirmaram não encontrar razões para aquela iniciativa, um ano depois das autárquicas. “Não faço ideia porque motivo terá escrito a carta. Entendo aquela atitude mais como uma ação eleitoral do que como um esclarecimento”, declarou José António Sousa, coordenador da Secção de Tavarede.

Um outro militante, porém, afirma, sob anonimato, que “uma pessoa de Tavarede queria ser vereador. Como as suas pretensões não foram atendidas, deixou de apoiar o recandidato”. Não disse, contudo, o nome do alegado “ressabiado”. Mas Vítor Baptista, que não quis comentar o assunto, começa a carta explicando os motivos que o levaram a escrevê-la.

“(…) Chegou ao meu conhecimento da existência de camaradas, apoiantes meus em 2008 e que hoje não apoiam, cuja argumentação política para o efeito se fundamenta na elaboração das listas para a Câmara e Assembleia Municipal da Figueira da Foz nas últimas eleições autárquicas”, frisa Vítor Baptista, na carta enviada aos tavaredenses.

Recusou candidatar-se à câmara

Em relação à assembleia, explica, foi elaborada uma lista incompleta. E quem se encarregou de a completar, afirma, foi o presidente da Concelhia da Figueira do PS, à época António João Paredes. Com conhecimento do líder distrital, ou seja, Vítor Baptista. Acrescenta ainda a missiva que foi Baptista quem convidou João Ataíde para se candidatar à câmara, que conquistou, de resto, a pedido de Paredes.

E numa entrevista ao DIÁRIO AS BEIRAS/Foz do Mondego, afirmou que só não foi candidato à câmara porque não quis. “Insistiram comigo para me candidatar. O presidente da concelhia falou comigo e tentou sensibilizar-me para ser candidato e eu disse-lhe que nem pensasse nisso”, disse.

Recorde-se que as eleições para a Distrital de Coimbra do PS, realizadas no pretérito dia 9, estão envoltas em polémica. Mário Ruivo reclama vitória (por escassos votos de diferença) enquanto Vítor Baptista exige a repetição do ato eleitoral.

One Comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.