Por uma Ordem dos Médicos livre de interesses partidários

Iniciar uma nova era e um novo paradigma na estrutura da Ordem dos Médicos (OM) é um dos propósitos da lista liderada por Francisco Rolo, candidato à Secção Regional do Centro. É essa, pelo menos, a vontade do urologista – e da equipa que o acompanha nesse desígnio.

“A OM está sem força, sem prestígio, sem estratégias claras e com problemas que se vão perpetuando sem solução à vista. São necessárias ações urgentes porque delas depende o prestígio da medicina e o futuro da Ordem dos Médicos”, advertiu o candidato, ontem, durante a apresentação das linhas programáticas da sua candidatura.

Acompanhado pelo mandatário regional – o dermatologista Américo Figueiredo –, e pelo candidato à presidência do Conselho Distrital de Coimbra – o otorrinolaringologista Luís Filipe Silva –, Francisco Rolo garantiu que, caso venha a ser eleito, vai lutar pela promulgação urgente do diploma que estabelece os graus de desenvolvimento profissional o qual virá substituir o das antigas carreiras médicas. Uma medida que vem no seguimento de um objetivo primordial: fazer com que a OM possua meios indispensáveis para avaliar e monitorizar as necessidades de médicos e contribuir para uma planificação do ensino médico “livre das influências e interesses político partidários”.

A candidatura à Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos, sob o lema “A Ordem somos Todos”, “é o culminar de um longo debate entre colegas que, desde há cerca de um ano, vêm discutindo os problemas que afetam a classe médica e que, “por inerência prejudicam o fim último da Ordem: o de prestar saúde com qualidade e, com isso, garantir a todos melhor saúde no sentido mais amplo da palavra”. A OM quer, desta forma, participar na discussão das grandes opções da tutela, como o recente exemplo da fusão dos hospitais de Coimbra ou a criação de uma Faculdade de Medicina em Aveiro.

“Defender a necessidade de uma qualificação profissional médica, para a prática de todo e qualquer ato médico; incentivar a criação de um Sistema de Notificação de Erro em Medicina ou assegurar que a atualização e valorização profissional sejam incluídas nas condições contratuais dos médicos são alguns dos objetivos (entre 10) que a lista se propõe alcançar nos próximos três anos, caso vença as eleições.

Integram ainda a lista Joaquim Murta (presidente da mesa da assembleia), Nascimento Costa (conselho fiscal regional) e Frederico Valido (conselho disciplinar regional). Caseiro Alves preside à mesa da assembleia distrital de Coimbra.

One Comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.