Na “calada da noite”

Durante a campanha eleitoral interna do PS evitei, apesar da agressividade dos opositores, a polémica pública. Evitei o desgaste do PS. Acusações de toda a natureza, ao ponto de escreverem textos insultuosos dirigidos aos “mesmos do costume”. Sim, somos de costumes mas de bons costumes.

A tramóia começou muito cedo, contactos, ofertas para escolher um qualquer lugar de gestor público, desde o metro em Lisboa, à CP, ou REFER, até acenavam com a cenoura de 15.000 euros mensais, o intérprete um tal Dr.! de André Figueiredo. Confesso que até era muito tentador, mas este Baptista, tem na sua genética a de um outro Alfredo Baptista, que já não faz parte dos vivos e passou uns anos na prisão como preso político, companheiro de cela de Fernando Vale e Lousã Henriques. Apesar da tentação não “pequei” e optei mais uma vez por princípios e valores. E ao sair do Largo do Rato ( Abril) logo decidi recandidatar-me.

Bem compreendi o que pretendiam e quem serviam. Passei a estar atento como ainda hoje estou. Estive atento aos cadernos eleitorais e logo aí constatei a purga de socialistas que com cartão datado de 28 de Março de 2010 constavam dos cadernos eleitorais com data de 29 de Abril. A tal situação em que os números 123.000 não votaram e os 124.000 votaram! Recorri até ao Tribunal Constitucional, o recurso foi admitido aguardo pacientemente pela decisão.

Cedo teriam compreendido que não seria fácil o abate. Teriam de recuperar cerca de um milhar de votos para terem a garantia de ganhar. E na “calada da noite” rumam no dia 7 de Outubro, pelas 23H30, ao Largo do Rato, onde os espera um tal Dr.! André Figueiredo.

A tramóia passa por emitir mais de meio milhar de papéis, fotocópias, designados “gestão de quotas” e que gestão! Sem numeração, a que pretendem chamar recibo de pagamento de quotas de militantes esquecendo os requisitos legais para a emissão de facturas ou documentos equivalentes entre os quais se encontra o recibo. Esquecendo que para o pagamento de quotas é preciso cumprir o Regulamento de Quotas e este não prevê a possibilidade de pagamento colectivo. Fantástico! Agora é que ele vai… acrescento à vela.

Num mundo de grande crise económica felizmente que ainda há “grandes beneméritos” que passam cheque e o depositam no Largo do Rato que os recebe para pagar as quotas de centenas de militantes que já não pagavam há cerca de 7 anos e mais! E esta… chapelada! Apesar de criativo confesso que a não esperava.

Contam-se os votos e no final anuncia-se uma vitória por 46. Festa rija e bem regada. O Dr.! André Figueiredo coloca no site oficial do PS a vitória e a toda a pressa não fosse ela fugir. Era preciso a consolidação. Anuncia-se que o secretário-geral já deu os parabéns etc, etc.

Mas que encenação!

Agora, fazendo parte desta encenação, por encomenda, aparece um tal Renato Sampaio, presidente da Federação do Porto e um outro de Vila Real a dizer que tenho mau perder. Perder até sei e já o demonstrei em outros momentos, mas passivamente ser roubado, não. Será que ambos o não sabem distinguir? Estão ao serviço de quem!

Afirmei 5 votos durante a noite de eleições, corrigi posteriormente para três conforme o Diário as Beiras referenciou, e assumi nada mais dizer enquanto a COC não se pronunciasse. Pronunciou-se agora pela repetição do acto eleitoral em várias Secções.

Mas tenho ainda outras coisas para esclarecer, por exemplo: na Secção de Vila Nova de Ceira em noite das eleições indicaram 18 votos para VB, reafirmaram-nos no domingo, mas a acta na COC apresenta 17. Mas há mais, na Secção de Eiras afirmaram 13 e a acta apresenta 12.

A vitória até poderá existir mas até ao momento não está confirmada. Não haja pressa. Tudo tem o seu tempo. Apelo ao bom senso que neste momento bem preciso é.

6 Comments

  1. Pingback: 16 de Outubro de 2010 – «Boy» do PS oferece «tacho» a deputado «incómodo»

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.